Notícias | Dia a dia
Argentinos ainda permanecem confinados em Doha
25/01/2021 às 14h04

Andreozzi vai completar 20 dias em Doha, onde foi para disputar o quali do Australian Open

Foto: Arquivo

Doha (Qatar) - Enquanto 72 tenistas cumprem rígido isolamento em Melbourne, depois de chegarem na Austrália em voos com pelo menos um contaminado pelo coronavírus, os argentinos Guido Andreozzi e Renzo Olivo fazem o mesmo só que em Doha, onde chegaram em 6 de janeiro para a disputa do qualificatório para o Australian Open.

Isso porque os dois estiveram em contado próximo com o compatriota Francisco Cerundolo, que no dia 11 de janeiro teve revelado o teste positivo para Covid-19 em um exame PCR. Sem saber que tinha o vírus, Cerundolo teve a oportunidade de jogar a primeira rodada do quali e foi o responsável pela eliminação do espanhol Guillermo Garcia-López.

Andreozzi e Olivo foram considerados contato direto com Cerundolo, por isso foram convidados a seguir os protocolos e se isolar por 10 dias. Eles poderiam sair para treinar desde que dessem negativo nos três testes PCR que iriam realizar, o primeiro depois de 1 dia, o segundo após 3 dias e o último depois de 7 dias.

Para azar dos dois argentinos, eles acabaram testando positivo no último dos exames e foram encaminhados ao centro médico para casos afetados pelo coronavírus. Andreozzi e Olivo estão em quarentena juntos. Se eles testarem negativo na terça-feira, poderão retornar ao seu país, mas se continuarem infectados o confinamento durará mais quatro dias.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva