Notícias | Dia a dia
Federação Espanhola pede melhorias na quarentena
21/01/2021 às 18h13

O jovem espanhol de 17 anos Carlos Alcaraz é um dos 72 jogadores cumprindo isolamento total em Melbourne

Foto: Arquivo

Madri (Espanha) - No mesmo dia em que a espanhola Paula Badosa, 67ª do ranking da WTA, foi diagnosticada com a Covid-19 mesmo estando em isolamento total antes do Australian Open, a Real Federação Espanhola de Tênis (RFET) emitiu um comunicado pedindo melhorias para seus jogadores. A entidade se preocupa especialmente com a situação de outros dois tenistas que não podem sair de seus quartos nem para treinar, Mario Vilella e Carlos Alcaraz.

Segundo a Federação, os jogadores foram avisados ​​sobre a possibilidade de sua exclusão do torneio e de que não poderiam entrar no país caso apresentassem positivos em um dos muitos testes de PCR realizados. No entanto, a entidade afirma que os atletas não foram informados da possibilidade de ficarem em isolamento total se viajassem no mesmo avião com um passageiro infectado pela doença.

"Entendemos todos os cuidados e medidas tomadas para o bem da saúde dos jogadores, espectadores, trabalhadores e residentes, mas acreditamos que essas medidas deveriam ter sido compatíveis com a saúde física e mental dos atletas", diz a nota oficial divulgada nesta quinta-feira. "No caso específico de dois jogadores espanhóis, a situação é muito complexa e compromete seriamente todos esses aspectos. Mario Vilella e Carlos Alcaraz (menor de idade) estão confinados em seus quartos sem poder sair por 14 dias, sendo que ambos realizaram múltiplos testes PCR com resultados negativos".

A entidade acredita que as diferenças nas condições de treinamento pode afetar o desempenho esportivo dos atletas. Ao todo, 72 jogadores estão em isolamento total na Austrália depois de que três voos que chegaram ao país tinham pessoas contaminadas com a Covid-19. Os demais atletas, que tiveram a sorte de viajar em voos sem infectados, podem treinar no Melbourne Park por até cinco horas por dia.

"É evidente que estes dois jogadores não poderão competir em igualdade de condições. E esse não é o único problema. Suas temporadas podem ser seriamente prejudicadas por um bloqueio de 14 dias. Os jogadores afetados são atletas de elite, que precisam estar ativos para não se machucar. Sem falar nos danos psicológicos que afetam o atleta em um esporte em que o aspecto mental é tão exigente", afirma a Federação.

"Por tudo isso, a partir da RFET, pedimos à Tennis Australia que tente resolver o problema dos tenistas mais afetados, Mario Vilella e Carlos Alcaraz, jogadores espanhóis que estão diretamente no nosso âmbito de atuação".

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva