Notícias | Dia a dia
Diretor do AO: 'Djoko fez sugestões, não exigências'
19/01/2021 às 16h50

Melbourne (Austrália) - Depois que os pedidos de Novak Djokovic para flexibilizar algumas regras da quarentena obrigatória foram negados pelas autoridades locais, foi a vez de Craig Tiley, CEO da Tennis Australia e diretor do torneio no Australian Open, colocar panos quentes na situação. O dirigente esclareceu que o número 1 do mundo entregou apenas sugestões e não fez exigências. Tiley também acredita que, apesar das recentes reclamações dos jogadores, a maioria do circuito encara a situação de isolamento de forma positiva.

Djokovic encaminhou uma série de pedidos à Tennis Australia por conta dos 72 tenistas foram colocados em isolamento total, impedidos de sair do quarto até para treinar, depois que três voos para Austrália (vindos de Los Angeles, Doha e Abu Dhabi) tiveram pessoas contaminadas pela Covid-19. Os demais tenistas, que não estavam nesses aviões, têm permissão para saírem do hotel e ficarem até cinco horas por dia treinando no Melbourne Park.

Alguns dos pedidos apresentados pelo sérvio visavam uma melhora das condições para os tenistas confinados. Um exemplo é a sugestão de que equipamentos da academia fossem instalados nos quartos. Outras ideias poderiam colocar em risco o rígido esquema de segurança, como a redução no número de dias em isolamento e a possibilidade de receber o técnico e o fisioterapeuta nos quartos mesmo para os jogadores que estão em isolamento total. O item mais polêmico era a possibilidade de transferir esses jogadores para casas particulares com quadras de tênis à disposição. As sugestões foram rapidamente rejeitadas pelo premier da região de Victoria, Daniel Andrews.

Em entrevista à emissora de TV Nine News, Craig Tiley disse que falou por telefone com cerca de 500 jogadores na noite passada e a "grande maioria está feliz por estar aqui". O diretor do torneio também esclareceu o tom cordial dos pedidos apresentados por Djokovic. "No caso de Novak, ele escreveu uma nota. Não eram exigências, e sim sugestões, mas ele está entendendo o que significam essas duas semanas de quarentena", explicou. "Acho que essas queixas que estamos vendo não representam todo o grupo de jogadores. Na maioria das vezes, eles têm sido muito bons".

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva