Notícias | Dia a dia
Autoridades negam os pedidos feitos por Djokovic
18/01/2021 às 09h09

Melbourne (Austrália) - Na tentativa de amenizar a dura situação em que se encontram os companheiros de circuito vindos em um dos três voos com contaminados pelo coronavírus que chegaram para a disputa do Australian Open, o sérvio Novak Djokovic enviou às autoridades uma lista de pedidos. A resposta foi curta e grossa, com todos eles sendo negados.

"As pessoas são livres para apresentar uma lista de demandas, mas a resposta é não", disse o chefe do governo do estado de Victoria, Daniel Andrews, em entrevista coletiva em Melbourne na qual ressaltou que as medidas sanitárias impostas em torno do Aberto da Austrália foram claramente definidas com antecedência.

Djokovic solicitou a transferência dos jogadores para residências particulares com quadras de tênis para treinar, a autorização para que treinadores ou preparadores físicos os visitasse caso tenham passado nos testes para detectar Covid-19 e reduzir os dias de isolamento, entre outras demandas. “Não há tratamento especial para ninguém”, insistiu Andrews.

Por enquanto são 72 os jogadores em rígido isolamento, sem sequer poder deixar o quarto do hotel. A lista ainda pode aumentar se for mesmo confirmado que um voo vindo de Dubai, que trazia as jogadoras que disputaram o qualificatório feminino, também tinha um infectado a bordo.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva