Notícias | Dia a dia
Brasileiros não estavam em voos com infectados
17/01/2021 às 15h51

Demoliner acabou prejudicado com o parceiro figurando entre os 72 isolados

Foto: Arquivo

Melbourne (Austrália) - Os cinco representantes brasileiros que viajaram para a disputa do Australian Open se safaram de encarar o isolamento mais rígido imposto aos 72 tenistas que estavam em três voos diferentes que chegaram em Melbourne com infectados.

Os mineiros Marcelo Melo e Bruno Soares, o cearense Thiago Monteiro, o gaúcho Marcelo Demoliner e a paulista Luisa Stefani não foram para a Austrália nos voos de Abu Dhabi, Doha e Los Angeles nos quais foram descobertos passageiros com o coronavírus.

Apesar de todos os representantes nacionais terem escapado de uma quarentena dura, na qual os tenistas sequer podem pisar fora do quarto, o gaúcho Marcelo Demoliner não saiu ileso, já que seu parceiro, o mexicano Santiago Gonzalez, é um dos tenistas que não poderão treinar por 14 dias.

+ Tenistas divergem sobre normas impostas pelo AO
+ Organização do Australian Open descarta adiamento
+ Djoko propõe novas medidas para tenistas isolados
+ Tenistas discutem formas de protesto e até boicote

Por causa do grande número de jogadores afetados, muito tem se discutido na Austrália para tentar fazer com que esses atletas não sejam tão prejudicados. Contudo, as autoridades sanitárias locais se mostraram firmes na manutenção do que foi programado.

O sérvio Novak Djokovic tentou intervir e fez um pedido à organização do primeiro Grand Slam da temporada, buscando uma forma de contornar a situação. Alguns mais indignados pensam em formas de protesto e até cogitam boicote. A única certeza é que a direção do torneio descartou a possibilidade de adiamento.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva