Notícias | Dia a dia
Organização do Australian Open descarta adiamento
17/01/2021 às 11h33

Melbourne (Austrália) - A dura quarentena imposta aos jogadores que chegaram em Melbourne em voos que tinham pelo menos um contaminado pelo coronavírus, todos eles precisando passar 14 dias isolados em seus quartos sem poder sair, fez com que a ideia de adiar o Australian Open em uma semana mais surgisse por lá. Contudo ela foi descartada por Craig Tiley, o presidente da Tennis Australia.

Mesmo com a pressão dos jogadores, ele garantiu que a competição começará mesmo no dia 8 de fevereiro. “O principal é fazer com que a situação dos tenistas isolados seja o mais justa possível. O principal motivo pelo qual os fizemos chegar antes é para termos essa margem caso acontecesse algo assim”, disse Tiley em entrevista ao Channel 9.

+ Alcaraz e tenistas do quali ampliam para 72 os isolados
+ Tenistas divergem sobre normas impostas pelo AO
+ Djoko propõe novas medidas para tenistas isolados
+ Preparador testa positivo, mas Krajinovic é liberado

“Vamos deixar material para todos os jogadores para que eles possam se exercitar corretamente em seus quartos", acrescentou o mandatário do tênis australiano, garantindo que a quarentena rígida imposta pelas autoridades sanitárias do estado de Victoria, onde fica Melbourne, será mantida a todos os que tiveram contato próximo com infectados.

Tiley reforçou que o risco de um isolamento total estava claro desde o começo. “Sempre soubemos que havia riscos tão significativos, até porque com essa pandemia nunca se sabe. Todos que viajaram para a Austrália tiveram que complementar um teste negativo 72 horas antes de partir. Sabíamos que havia uma possibilidade de acontecer o que acabou acontecendo”.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva