Notícias | Dia a dia
Tenistas reclamam de comida e qualidade dos quartos
16/01/2021 às 11h52

Melbourne (Austrália) - A tensão entre tenistas e organização do Australian Open vai crescendo conforme os jogadores desembarcam para cumprir quarentena nos hotéis do torneio. Além do isolamento total imposto a 47 atletas que vieram em dois voos que tinham pelo menos um infectado em cada, o diretor do evento Craig Tilley tem recebido diversas outras reclamações.

Alguns jogadores recriminaram o tratamento diferenciado dado aos companheiros de circuito que foram colocados em Adelaide, acusando o Australian Open de privilegiar os três primeiros de cada ranking (ATP e WTA). Outras duas reclamações recorrentes são sobre a comida que é servida e a qualidade dos quartos.

A cazaque Yulia Putintseva não ficou apenas na reclamação e tratou de disparar através das redes sociais. "Estou tentando mudar de quarto já faz 2 horas e ninguém vem para me ajudar por causa da situação de quarentena", escreveu a atual 28 do mundo no Twitter, colocando junto um vídeo de um rato dentro de seu quarto.

Outro ponto levantado pelos tenistas é a demora na divulgação dos resultados dos exames. Segundo afirma o Marca, um deles ficou mais de 40 horas trancado no quarto sem poder sair porque o resultado do teste PCR ainda não havia ficado pronto. Tiley pediu aos tenistas profissionais "paciência" e avisou que 1.500 pessoas trabalham nos laboratórios Covid de Melbourne apenas para o torneio.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva