Notícias | Dia a dia
Tsonga revela misto de orgulho e ódio com o Big 3
15/01/2021 às 15h05

Paris (França) - Maiores nomes não apenas de sua geração, mas para muitos da história do tênis, o suíço Roger Federer, o espanhol Rafael Nadal e o sérvio Novak Djokovic fazem a alegria dos fãs, mas também são o terror para seus contemporâneos. Em entrevista ao programa DipTalk do Eurosport, o francês Jo-Wilfried Tsonga falou sobre o misto de sensações que tem por ser contemporâneo dos três.

“Vamos ser honestos, eu teria adorado se esses três caras não existissem. Quando você está na elite ano após ano e vê que pode alcançar o top 5, mas não vai além porque eles estão na frente, você se pergunta onde seria capaz de chegar se não tivesse coincidido com eles. Mas também deve ser dito que foi um orgulho tremendo enfrentar o Big 3. Poder se gabar de jogar com eles e ter conquistado algumas vitórias é algo único”, disse Tsonga.

O francês soma 16 vitórias em 55 partidas contra o Big 3. Ele tem 6 a 12 contra Federer, 4 a 10 contra Nadal e 6 a 17 contra Djokovic. Com tantos duelos no histórico, Tsonga garante que a pior parte era quando os torneios afunilavam e sabia que dificilmente conseguiria escapar dos três, mesmo estando bem na competição.

“Houve momentos em que me sentia bem em quadra, chegava nas quartas de final e tinha que não desanimar ao olhar para a chave, porque meu próximo adversário seria um deles. E provavelmente se vencesse, nas semifinais jogaria contra outro e na final contra o terceiro. Aí você diz a si mesmo que ser campeão é um milagre”, falou o francês de 35 anos e atual 60 do mundo.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva