Notícias | Dia a dia
Para Youzhny, Djoko perdeu o foco após incidente
02/01/2021 às 14h52

Djokovic não repetiu o mesmo desempenho depois da desclassificação no US Open

Foto: Arquivo

Moscou (Rússia) - Ex-jogador profissional e atual técnico de Denis Shapovalov, o russo Mikhail Youzhny concedeu uma longa entrevista ao portal Championat, sobre diversos temas do circuito. Um dos assuntos comentados por Youzhny, que também tem formação e o título de doutorado em Filosofia pela Universidade de Moscou, foi o estado emocional do número 1 do mundo Novak Djokovic, especialmente depois do incidente no US Open em que o sérvio foi desclassificado depois de acertar a bola em uma juíza de linha.

"O que aconteceu no US Open, aconteceu. Mas a gente pôde ver o que isso causou no estado psicológico dele, apesar de ter conquistado um título em Roma depois. Até mesmo na final em Roland Garros ele não estava com o mesmo estado emocional de antes", disse Youzhny, ao destacar a queda de rendimento do sérvio depois do incidente.

"Ele não havia perdido uma única partida no ano antes do US Open. Mas, novamente, esse incidente aconteceu no primeiro set do jogo. O que isso mostra? Que o sistema nervoso de Djokovic não estava pronto para esse tipo de situação", avaliou o russo de 38 anos e ex-número 8 do mundo.

Youzhny relembrou a participação de Djokovic no ATP 500 de Viena, em que o sérvio precisava de apenas duas vitórias para praticamente assegurar a liderança do ranking até o final da temporada. Depois de conseguir esses resultados e abrir uma vantagem confortável para o segundo colocado Rafael Nadal, o número 1 do mundo fez uma partida irreconhecível contra o italiano Lorenzo Sonego nas quartas.

"Djokovic queria terminar o ano como número um e já garantiu isso em Viena. Mas mesmo quando ele conseguiu, pode-se dizer que jogou as duas primeiras partidas sem estar com a faca nos dentes. Depois, contra o Sonego, ele simplesmente não jogou", comentou o treinador. Na época, o próprio Djokovic confirmou que jogou em Viena pensando no ranking e que "fez o que precisava no torneio".

Para o russo, o impacto emocional do incidente afetou Djokovic até mesmo na final de Roland Garros, em que ele foi amplamente dominado por Rafael Nadal. "É disso que estamos falando agora, sobre o melhor jogador do mundo, que teve um colapso no US Open. Ele pode dizer que foi um acidente, que a bola pode não ter batido. Mas raramente vi Novak jogando bola para longe no primeiro set, seja qual for a situação. Raramente vi Novak gritar com um juiz de linha no primeiro set, como fez em Roma. E certamente nenhum de nós jamais viu o Novak jogar como na final de Roland Garros, talvez nem ele mesmo".

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva