Notícias | Dia a dia
Hall da Fama comemora os pioneiros negros
12/12/2020 às 08h52

Newport (EUA) - O Hall da Fama do Tênis lançou uma nova exposição no museu digital, que oferece uma visão abrangente da história do tênis negro na América. A exposição “Quebrando as barreiras: os Pioneiros Negros” abrange mais de 120 anos da história do tênis negro, bem como uma linha do tempo simultânea da história afro-americana em geral. A exposição narra as lutas e a evolução do tênis negro e as vidas e carreiras dos campeões do tênis negro desde o início dos anos 1900 até hoje.

“Breaking The Barriers” é amplamente focado na história do tênis negro nos Estados Unidos. Para o futuro está prevista uma exposição que examina a história do tênis negro em escala global, programas virtuais com palestrantes convidados em fevereiro de 2021 e uma experiência de realidade virtual de Arthur Ashe no museu, baseado no US Open de 1968.

Por meio de imagens dinâmicas e entrevistas em vídeo, “Breaking The Barriers” explora o que estava acontecendo no tênis negro durante cinco períodos da história afro-americana: Sobrevivência Criativa (1874-1910); Entrada (1910-1938); Reforma (1938-1955); Participação (1955-1965); e Libertação (1965-presente).

Além de destacar histórias dos célebres membros do Hall da Fama afro-americano, Arthur Ashe, Althea Gibson e Dr. Robert Johnson, Breaking The Barriers também mostra alguns dos menos conhecidos, mas altamente impactantes, indivíduos e organizações que lutaram por oportunidades e igualdade em tênis para negros.

Isso inclui pioneiros como o Rev. W.W. Walker, que organizou o primeiro torneio interestadual negro na Filadélfia em 1898 e Mary Ann “Mother” Seames, que oferecia aulas de tênis para crianças negras em 1906. A exposição também destaca os primeiros campeões como Ora Washington, oito vezes campeão nacional na década de 1920, que também teve uma carreira de sucesso no basquete, e Jimmie McDaniel, quatro vezes campeão nacional, que enfrentou Don Budge no Hall da Fama em uma histórica partida de exibição interracial em 1940.

“Quebrando as barreiras” narra a evolução e o impacto da Associação Americana de Tênis (ATA), fundada em 1916 a partir de uma colaboração de clubes de tênis negros e permanece ativa até hoje como a organização esportiva afro-americana mais antiga em operação contínua no país. Os visitantes podem assistir a videoclipes de pioneiros falando da exclusão que enfrentaram, como superaram e o que esperavam para o futuro do esporte. As narrativas incluem Virginia Glass, a primeira mulher presidente da ATA e mãe de duas jogadoras universitárias de sucesso; Art Carrington, um competidor ATA, promotor de tênis e historiador; e Althea Gibson, a primeira negra a ganhar um Campeonato Principal e membro do Hall da Fama.

“Breaking The Barriers” também inclui histórias da atualidade, destacando as carreiras históricas de Serena e Venus Williams, desde sua primeira batalha no horário nobre no Aberto dos Estados Unidos até ao sucesso e impacto dentro e fora da quadra, bem como estrelas como Madison Keys, Sloane Stephens, Coco Gauff e Naomi Osaka.


Comentários
Loja - livros
Suzana Silva