Notícias | Dia a dia
Opelka acredita que Djoko é injustamente perseguido
05/12/2020 às 12h52

Nova York (EUA) - Um dos jogadores que apoiou a iniciativa do sérvio Novak Djokovic de formar um sindicato para defender os direitos dos tenistas, o norte-americano Reilly Opelka saiu em defesa do número 1 do mundo em entrevista a Racquetmag. Ele acredita que o destro de Belgrado é injustamente perseguido e crucificado pela mídia.

“Sim, eu estava no conselho da PTPA (Professional Tennis Player Association) e acho que foi uma ótima jogada. Contudo, é frustrante, para mim, ver um cara como Novak, que recebe críticas negativas da imprensa sobre coisas que não são verdadeiras. Ele é um cara muito, muito amigável”, comentou o norte-americano de 23 anos.

+ 'O que Novak diz é um total absurdo', dispara Melzer
+ Sindicato de Djoko dividiu opiniões em ano turbulento

Opelka também elogiou a natureza generosa de Djokovic, relembrando um incidente no recente US Open em que as atitudes do sérvio o deixaram tocado. "Ele não precisa perder tempo, vir até mim depois de uma partida e apenas conversar, perguntando como meu joelho está. Não é comum, pois não crescemos juntos, estamos em gerações diferentes” falou o atual 39 do mundo.

Além de defender o líder do ranking por ver uma preocupação genuína com os colegas, o norte-americano também destaca a importância que ‘Nole’ dá a tudo que envolve o tênis e o circuito. “Ele sempre está bem inteirado sobre as gerações mais jovens e conhece muitas jogadoras. Ele adora tênis e se preocupa com o esporte”, finalizou o tenista de Michigan.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva