Notícias | Dia a dia
WTA define indicações para melhor jogo de 2020
23/11/2020 às 16h38

Virada de Serena sobre Venus em Lexington foi um dos destaques da temporada

Foto: Arquivo

Miami (EUA) - Com o fim da temporada do circuito feminino, a WTA divulgou as indicações para o melhor jogo de 2020. A lista da entidade privilegiou quatro viradas no placar, protagonizadas por Simona Halep, Serena Williams, Naomi Osaka e Aryna Sabalenka.

Vale destacar que só concorrem partidas ocorridas em torneios promovidos pela entidade, excluindo jogos de Grand Slam ou da Fed Cup. A votação pode ser feita no site e nas redes sociais da WTA.

Halep vs. Rybakina, em Dubai

O primeiro jogo indicado foi a final do Premier de Dubai, em que Simona Halep venceu a cazaque Elena Rybakina por 3/6, 6/3 e 7/6 (7-5) em 2h27 de partida no dia 22 de fevereiro. A vitória rendeu a Halep o 20º título de sua carreira profissional. Naquela semana, a romena conseguiu outras duas viradas e salvou um match point contra a tunisiana Ons Jabeur nas oitavas.

Depois de ter perdido primeiro set e escapado de um break point no início da parcial seguinte, Halep assumiu o controle das ações do fundo de quadra e abriu boa vantagem no segundo set. Rybakina, que disputava naquele dia sua quarta final na temporada, foi a primeira a quebrar no terceiro set, liderando por 3/1. Halep, por sua vez, chegou a sacar para o jogo, quando vencia por 6/5. Já no tiebreak, a cazaque ficou a dois pontos da vitória, mas cometeu três erros seguidos no fim.

Serena vs. Venus, em Lexington

O 31º duelo na rivalidade entre as irmãs Venus e Serena Williams também ficou entre os destaques da temporada. Apesar de ser disputado sem público e de as jogadoras sentirem a falta de ritmo após cinco meses de paralisação do circuito pela pandemia da Covid-19, as irmãs Williams fizeram um jogo de 2h19 e terminou com vitória de Serena por 3/6, 6/3 e 6/4 para chegar às quartas de final do WTA de Lexington.

As viradas são bastante raras nos encontros entre as irmãs Williams. Foi apenas a terceira vez que Serena reverte o placar contra Venus, repetindo o que havia feito na final de Wimbledon em 2003 e no WTA Finals de 2008. Apesar de Serena ter sido a primeira a quebrar na partida, Venus reagiu em grande estilo e venceu seis games em sete possíveis. No segundo set, a caçula das Williams não enfrentou break points. Já no terceiro, Venus chegou a liderar por 4/2, mas depois Serena venceu quatro games seguidos.

Osaka vs. Kontaveit, em Nova York

A vitória de Naomi Osaka nas quartas de final do Premier de Cincinnati, excepcionalmente jogado em Nova York, também foi destaque. A japonesa superou a estoniana Anett Kontaveit, 20ª do ranking, por 4/6, 6/2 e 7/5 em 1h53 de partida. Aquela foi a segunda virada de Osaka no torneio, repetindo o que ela já havia feito contra a tcheca Karolina Muchova na estreia.

Osaka não conseguia se impor do fundo de quadra e fez apenas três winners no primeiro set. Além disso, Kontaveit também foi a primeira a quebrar na parcial seguinte, mas aos poucos a japonesa passou a jogar mais à vontade para ser mais agressiva e vencer seis games seguidos. No terceiro set, a japonesa abriu 4/1, permitiu o empate depois de um game muito ruim, mas voltou a quebrar na sequência.

Sabalenka vs. Gauff, em Ostrava

O último indicado foi a virada de Aryna Sabalenka sobre a promessa norte-americana de 16 anos Coco Gauff no Premier de Ostava. O jogo foi ainda pelas oitavas de final e Sabalenka venceu por 1/6, 7/5 e 7/6 (7-2) em 2h13 de partida. A bielorrussa terminaria a semana como campeã do torneio em quadras duras e cobertas.

Apesar de ter perdido o primeiro set de forma muito rápida, Sabalenka conseguiu encaixar seu jogo mais agressivo a partir da parcial seguinte e soube equilibrar as ações. Ainda assim, Gauff esteve em vantagem durante o terceiro set, chegando a liderar por 5/2, mas novamente a bielorrusa conseguiu reagir antes de definir a partida no tiebreak. O resultado também serviu como revanche para Sabalenka, que havia perdido para Gauff em Lexington.

Comentários
Loja - camisetas
Torneio Teodózio