Notícias | Dia a dia | ATP Finals
ATP decide manter os pontos do Finals de 2019
22/11/2020 às 10h41

Tsitsipas vai manter os 1.300 pontos do título do ano passado até novembro de 2021

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - A ATP modificou o entendimento a respeito dos pontos obtidos na edição passada do Finals. Diferente do que havia anunciado anteriormente, a entidade não efetuou o desconto das pontuações de 2019 no dia 9 de novembro, como estava previsto. Em vez disso, irá manter esses resultados até o dia 8 de novembro de 2021.

Isso significa que os jogadores que atuaram nessas duas edições do Finals, em 2019 e 2020, vão ficar com a melhor campanha entre elas valendo para o ranking. E mesmo quem atuou no ano passado, mas não se classificou este ano, casos de Roger Federer e Matteo Berrettini, não perdem pontos.

A mudança equipara a situação do Finals com a dos demais torneios que tiveram duas edições entre março de 2019 e dezembro de 2020. Isso inclui, por exemplo, o US Open, Roland Garros e os Masters 1000 de Roma, Cincinnati e Paris. Em todos esses casos, além de outros ATP 250 e 500, o jogador fica com a melhor campanha entre essas duas edições.

Tsitsipas é o maior beneficiado
O grande beneficiado por isso é Stefanos Tsitsipas. Campeão da edição passada do Finals, com quatro vitórias em cinco jogos, o grego fez 1.300 pontos no ranking. Já em 2020, o jovem de 22 anos e número 6 do mundo ficou longe de repetir o mesmo desempenho e foi eliminado ainda na primeira fase, com apenas uma vitória. Com isso, ficaria com apenas 200 pontos.

Roger Federer vai manter os 400 pontos conquistados no ano passado, enquanto Matteo Berrettini continua com os 200 obtidos em 2019. Líder do ranking mundial, Novak Djokovic melhora seu desempenho em relação à última temporada, já que fez 200 pontos em 2019 e 400 este ano. Já Rafael Nadal permanece com os mesmos 400 pontos da temporada passada.

Vice-campeão em 2019 e finalista este ano, Dominic Thiem está mantendo os 800 pontos. Nesses dois anos, o austríaco chegou à decisão com três vitórias em quatro jogos. Ele pode somar mais 500 pontos e chegar a 1.300 se for campeão. Já seu adversário, o russo Daniil Medvedev, perdeu os três jogos que fez ano passado, mas está invicto este ano. Dessa forma, pode sair de Londres com 1.000 ou 1.500 pontos.

Comentários