Notícias | Dia a dia | ATP Finals
Djokovic apoia criar regra contra violência na ATP
20/11/2020 às 15h21

Djokovic superou Zverev nesta sexta-feira pelo ATP Finals

Foto: Divulgação

Londres (Ingaleterra) - Depois de ter vencido seu jogo contra Alexander Zverev pela última rodada da fase de grupos do ATP Finals, Novak Djokovic foi perguntado sobre o momento vivido pelo alemão fora das quadras. Há três semanas, a ex-namorada de Zverev, Olga Sharypova, o acusou de agressões físicas e de manter um comportamento abusivo durante o relacionamento. O sérvio comentou sobre a possibilidade de a ATP adotar regras para lidar com os casos de jogadores acusados de violência doméstica, como já acontece em ligas norte-americanas como a NBA e a NFL.

"Se a ATP deveria criar uma política para isso, por que não? Provavelmente deveria existir", disse Djokovic. "Mas acho que ainda não tem uma regra sobre isso, porque não tivemos casos assim antes, me corrijam se eu estiver errado, na história desse esporte. Não me lembro de ouvir sobre outros jogadores top envolvidos nesses casos. Então talvez esse caso pode inspirar a ATP a criar algo nessa linha".

Número 1 do mundo e ex-presidente do Conselho de Jogadores, Djokovic diz ter uma relação respeitosa com Zverev e sua família. "Eu conheço o Sascha há bastante tempo, desde que ele era muito novo. Sempre tive uma boa relação com ele. Tenho muito respeito por ele e por sua família. Ele tem um irmão da minha idade, o Mischa, então é triste ouvir e saber que ele está envolvido nesse tipo de coisa. Ainda não sabemos exatamente o que aconteceu. É claro que eu não apoio nenhuma forma de violência, mas nós temos que esperar para ver".

+ Patrocinador de Zverev avalia acusação com cautela
+ ATP diz condenar a violência, mas aguarda investigação
+ Em entrevista, Zverev volta a negar acusações

Djokovic diz que não notou diferença no tratamento dos outros jogadores a Zverev nas últimas semanas. "Não notei nenhuma diferença no tratamento a ele no vestiário. Pelo menos da minha parte, eu sempre tive uma boa relação com ele. Passamos bastante tempo juntos durante o Adria Tour e falamos sobre diferentes aspectos da vinda".

"Ainda não conversei com ele sobre esse caso específico, mas me coloquei à disposição se ele quisesse conversar. É claro que ele tem uma família e uma equipe muito grande ao redor dele", explica o jogador de 33 anos. "Ele está lidando com isso muito bem, pelos resultados que ele teve no último mês e meio. Então eu sinceramente espero que ele consiga passar por isso e focar de novo em sua carreira no tênis".

Sérvio destaca o saque e as boas escolhas táticas
A respeito da vitória por 6/3 e 7/6 (7-4) nesta sexta-feira, o sérvio disse que soube sacar bem nos momentos de pressão. Ele não teve o serviço quebrado, mesmo tendo enfrentado três break points. Djokovic também acredita que também fez boas escolhas táticas ao longo da partida. "Eu me senti ótimo. No início do jogo, ele teve algumas chances de quebra, mas consegui sacar bem nos momentos importantes e, ao contrário da última partida contra o Daniil, usei os golpes certos na hora certa"

"Obviamente não é fácil devolver o saque dele. Às vezes, você precisa escolher um lado e bloquear, esperando que você possa estar nas trocas nos ralis do fundo da quadra. Foi realmente um jogo muito equilibrado. No tie-break, consegui antever a aproximação dele à rede no 4-3 e saquei bem quando precisei para fechar a partida", complementou o sérvio, que marcou sua quarta vitória em seis jogos contra Zverev no circuito.

Duelo com Thiem na semifinal em Londres
Djokovic agora enfrenta o austríaco Dominic Thiem na semifinal deste sábado. O sérvio lidera o histórico de confrontos por 7 a 4, com destaque para a vitória na final do Australian Open deste ano. Thiem conseguiu três de suas vitórias no saibro, e mais uma no piso duro no ATP Finals do ano passado. "Obviamente, no início de sua carreira Dominic jogava melhor no saibro, mas é claro que sendo um dos jogadores mais dedicados do circuito, ele encontrou uma maneira de jogar bem em todas as outras superfícies".

"Seu primeiro Grand Slam veio em quadras duras este ano, em Nova York. Joguei com ele no ano passado aqui e perdi por 7/6 no terceiro set, numa partida muito emocionante. Espero que possamos ter outro grande jogo, mas espero que desta vez com outro resultado".

Comentários