Notícias | Dia a dia
Torneio é cancelado e Rebeca Pereira tem prejuízo
11/11/2020 às 08h16

Com o cancelamento do torneio, brasileira não conseguiu cobrir os gastos da semana

Foto: Arquivo
por Mário Sérgio Cruz

Castellón (Espanha) - O cancelamento do torneio ITF W15 de Castellón, realizado na última semana no saibro espanhol, acabou prejudicando a brasileira Rebeca Pereira. Ela estava nas quartas de final de duplas, ao lado da chilena Barbara Gatica, mas as constantes chuvas impediram a continuidade dos jogos. E nesse nível de competição, as próprias tenistas precisam arcar com os custos de hospedagem, apesar das premiações serem muito baixas.

"Nós acabamos não conseguindo cobrir os gastos da semana, porque ficamos três dias pagando hotel e sem jogar, na expectativa do tempo melhorar", disse Rebeca Pereira ao TenisBrasil. "Tanto eu quanto a Barbara recebemos o nosso prize money normal, até a rodada em que chegamos", acrescentou a paulista de 27 anos.

Rebeca dividiu com sua parceira uma premiação de apenas 132 euros, por ter avançado uma rodada nas duplas. Em simples, parou na fase final do quali e não recebeu premiação. Descontados os 24% de impostos, cada jogadora recebeu 50,16 euros. A taxa de inscrição no quali era de 36 euros, enquanto as diárias no hotel do torneio eram de 29 euros, além um gasto médio de 25 euros por dia com alimentação: "Ou seja, meu prize money final não cobriu nem um dia de gastos totais".

+ Chuva inunda quadra e ameaça torneio com brasileiros
+ Alves, Reis e Pucinelli ganham títulos de duplas

O evento teve jogos apenas entre os dias 1 e 3 de novembro, sendo paralisado na terça-feira da semana passada. No entanto, o cancelamento das disputas só foi oficializado no sábado, sendo que nem a primeira rodada de simples da chave principal havia sido concluída.

"É uma situação bem desconfortável. À medida que o dia vai passando, eles vão colocando os jogos para mais tarde, para ver se vai ser possível realizar a rodada ainda naquele dia. Até que por fim, lá pro final da tarde, cancelam tudo", explica a jogadora. "Isso aconteceu três dias seguidos: quarta, quinta e sexta-feira. E aí no sábado na hora do almoço, finalmente decidiram cancelar o torneio. Todas essas decisões têm que passar pela ITF antes de serem oficiais".

Jogadoras contestaram taxa de inscrição
"Algumas meninas que entraram direto na chave principal não conseguiram jogar a primeira rodada de simples. E reclamaram, porque o torneio estava cobrando a inscrição sem que elas chegassem a jogar. Eu não sei o que diz a regra da ITF sobre isso, então realmente não posso dizer se está certo ou não", ponderou a tenista, que é número 351 no ranking das duplistas na WTA.

"No geral acabou sendo uma semana um pouco perdida, mas faz parte, né? Acaba sendo uma coisa fora do nosso controle. É muito chato, mas é sempre uma possibilidade", comenta a jogadora, que já havia passado por uma situação parecida no início do ano. O torneio que acontecia na cidade paulista de Olímpia, em março, foi paralisado em razão da pandemia da Covid-19. Já em virtude da chuva, Rebeca conta que isso havia acontecido também em Tabarka, na Tunísia, no ano passado, mas com menos dias de espera até o cancelamento.

Brasileira vinha de quatro torneios na Tunísia
Nas quatro semanas anteriores ao torneio espanhol, Rebeca Pereira atuou em Monastir, na Tunísia, para a disputa de outros quatro eventos ITF W15. Em simples, chegou três vezes às oitavas, recebendo US$ 294 por vitória, além de ter furado um quali e recebido mais US$ 147. Com os resultados, acumulou US$ 1.029. Isso sem considerar os impostos e taxas de inscrição.

Nas duplas, mesmo com resultados melhores, a premiação foi mais bem mais baixa. Ela e Gatica receberam US$ 478 por um título, US$ 258 por um vice-campeonato, além de US$ 147 por uma semifinal e US$ 74 por uma campanha até as quartas. No total, a parceria ganhou e dividiu o valor de US$ 957 nas mesmas quatro semanas.

Seu total nesses eventos foi de US$ 1.507,50. Essas quatro semanas representam 51% do prêmio que ela ganhou no ano inteiro, de US$ 2.913. Na carreira, acumula US$ 26.614.

Sete títulos de duplas no circuito da ITF

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Essa semana deu bom 🏆🥇💃🏽 . . #gratidao #teamdunlop #weareone #theballontour #journeyforperfection

Uma publicação compartilhada por Rebeca Pereira 🇧🇷🎾 (@beca_bpp) em

Em sua carreira profissional, Rebeca Pereira já venceu sete torneios de duplas no circuito da ITF, sempre ao lado de Gatica. As três primeiras conquistas foram em 2018, seguidas por mais três na temporada passada e uma neste ano. Ela chegou a ocupar o 290º lugar no ranking de duplas, há pouco mais de um ano. Em simples, aparece atualmente apenas na 970ª posição. A jogadora deve seguir na Espanha nas duas próximas semanas para a disputa de dois torneios em Las Palmas de Gran Canaria. 

Atualmente treinando na cidade paulista de São Carlos, com o técnico Felipe Porto, Rebeca está viajando no circuito há nove semanas seguidas. Nesse período, só pôde ter o treinador por perto em dois torneios. "Foi muito bom para dar uma organizada na cabeça e nos golpes em si. Mas mais do que esse período fica inviável, porque os gastos realmente são muito altos. E como não tenho patrocínio nenhum, mesmo dividindo com a Barbara, que também treina com o Felipe, fica demais para mim. Viajar sozinha não é o jeito essencial e mais produtivo, mas ou viajo assim ou eu não jogo".

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva