Notícias | Dia a dia
Outra ex-namorada de Zverev o acusa de agressão física
29/10/2020 às 13h23

Moscou (Rússia) - Depois de ver a ex-namorada Brenda Patea afirmar que está grávida de um filho seu, o alemão Alexander Zverev se complicou ainda mais depois de uma declaração de outra ex-namorada. A russa Olga Sharypova revelou um lado bem pior do atual número 7 do mundo e o acusou de agressão física.

Modelo e ex-tenista juvenil, a russa de 23 anos começou a história publicando em seu Instagram que em agosto do ano passado tentaram estrangulá-la com um travesseiro, bateram sua cabeça contra a parede e torceram seus braços, sem citar o nome da pessoa envolvida no caso.

Seus seguidores então sugeriram que o agressor poderia ser Zverev. O site russo Championat entrou em contato com Sharypova, que confirmou estar realmente falando sobre o alemão de 23 anos, com quem iniciou um relacionamento sério em 2018.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

🔗 #404error

Uma publicação compartilhada por crazy Olya (@olyasharypova) em

“Naquele dia, eu estava caminhando com Dasha Medvedeva (esposa de Daniil Medvedev) e um amigo meu. Chegamos um pouco atrasados e Sasha ficou com raiva por causa disso. Quando cheguei em casa, brigamos. Nossas brigas sempre aconteceram do zero. Escrevi no Instagram que ele tentou me estrangular com um travesseiro, torceu meus braços”, lembrou a russa.

“Tentei várias vezes sair correndo da sala, mas ele não me deixou. Tive medo de que alguém pudesse nos ver e ouvir. Mas no final consegui me libertar e corri descalça. Fiquei escondida em um canto do hotel, mas Sasha desceu e me encontrou. Ficamos perto da entrada lateral. Chorei e tentei sair, mas ele queria que eu voltasse para a sala e conversássemos”, acrescentou Sharypova.

A russa disse que estava com medo no momento e queria fugir, mas o alemão a empurrou contra a parede e falou que eu não ganhava nada fazendo isso. "E também disse que ninguém se importava comigo e nem com o que ele faria comigo. Felizmente, pessoas apareceram e escapei para a rua com elas. Estava sozinha e descalça no meio da rua. Que bom que eu tinha um telefone e pude contatar um amigo que veio me buscar”.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva