Notícias | Dia a dia
Ex-técnico de Federer: 'Para mim o Goat não existe'
24/10/2020 às 15h38

Annacone ficou três anos e meio ao lado de Federer, entre agosto de 2010 e outubro de 2013

Foto: Arquivo

Roma (Itália) - Enquanto fãs, jornalistas e ex-tenistas profissionais ficam debatendo quem é o maior de todos os tempos (Goat, na sigla em inglês), o treinador norte-americano Paul Annacone, que já trabalhou com o compatriota Pete Sampras e com o suíço Roger Federer, vai na contramão e afirma que não faz sentido comparar jogadores, principalmente quando se olha tempos diferentes.

“Acredito que os maiores tenistas de todas as épocas praticaram um esporte diferente: novas tecnologias, novos métodos de treinamento, diferentes torneios e adversários. Também superfícies diferentes, que mudaram mesmo nos Grand Slams”, afirmou Annacone em entrevista ao Tennis Magazin Italia.

“Para mim, é como misturar maçãs com peras. Entre outras coisas, estou convencido de que os mais fortes teriam sempre se adaptado, seja no passado ou no presente”, complementou o treinador norte-americano, que foi enfático em sua posição sobre a pretensa disputa pelo posto de melhor da história. “Resumindo, para mim o GOAT não existe”.

O técnico acredita que dá apenas para comparar quem conquistou mais feitos e não quem é o melhor. “Pessoalmente, não acredito no conceito de 'o maior de todos os tempos'. Acho que podemos debater talvez quem é o mais bem sucedido, quem alcançou mais em sua carreira. E para isso podemos considerar os Grand Slams vencidos, as semanas passadas no topo do ranking, o número de torneios Masters 1000 e as Copas Davis”, observou.

"Sampras me disse que seu maior feito não foram os 14 títulos de Grand Slams ou os 7 de Wimbledon, mas sim os seis anos consecutivos como o número 1 do mundo no final da temporada. Ele afirmou que ter sucesso por muitos anos consecutivos foi muito difícil, até porque lugares no topo do ranking há apenas um, enquanto os Slam são quatro em um ano”, ilustrou Annacone.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva