Notícias | Dia a dia
Saraiva, Gracie e Oliveira largam bem em Brasília
21/10/2020 às 21h11

Christian Oliveira não deu chance ao adversário.

Foto: João Pires/Fotojump

Brasília (DF) - O tênis brasiliense teve dois motivos para celebrar nesta quarta-feira na primeira rodada da Brasil Tennis Cup. Primeiro, Paulo André Saraiva começou a sua campanha no Clube do Exército com pé direito ao bater por 6/1 e 6/2 o goiano Victor Ferreira. Em seguida foi a vez da grande surpresa da rodada acontecer. Promessa local de apenas 14 anos, Rafael Gracie desbancou o paranaense Victor Soni, de 18, com parciais de 6/3, 5/7 e 6/4, garantindo dois brasilienses nas oitavas de final.

A oportunidade de jogar em Brasília deixou Saraiva bastante ansioso, mas o tenista de 20 anos soube controlar o nervosismo no início do confronto com Ferreira. "Fui bastante consistente, eu não esperava que fosse tão bem, por tratar-se de estreia e por me sentir ansioso por jogar em casa. Comecei nervoso, mas logo consegui mentalizar que para vencer eu deveria apenas fazer o que eu treino durante todos os dias. A partir disso, o jogo fluiu bastante e fui capaz de jogar de maneira mais consciente", disse.

Em busca de vaga nas quartas de final, Saraiva fará um duelo totalmente brasiliense justamente contra o jovem Gracie, ainda sem programação definida. O tenista da casa é o jogador mais jovem da chave e mostrou maturidade para fechar o jogo. "Muito contente pela vitória, embora eu tenha vacilado um pouco no segundo set, vejo que poderia ter fechado antes. Por outro lado, o mais importante é que consegui vencer mesmo em uma situação de dificuldade", afirmou o fã de Novak Djokovic.

32 pontos em 1 game

Da comunidade Gardênia Azul, Christian Oliveira abriu a programação com arrasadora vitória por duplo 6/0 contra o brasiliense João Vieira. Apesar da superioridade, Oliveira passou por um período curioso. Em apenas um game, quando a parcial do confronto indicava 6/0 3/0, os tenistas fizeram uma quase interminável disputa de 32 pontos, o que chamou a atenção do carioca.

"Acredito que o game tenha durado 10 minutos, foi bem atípico pelo cenário da partida. Todas as pessoas que estavam assistindo ao jogo simplesmente não entendiam muito bem o que estava acontecendo. O fato é que sempre que eu conseguia a chance de quebra, o João encaixava na sequência um ótimo serviço. Foi bem curioso", comentou Oliveira, que enfrentará o paranaense João Schiessl nas oitavas de final.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva