Notícias | Dia a dia
Djokovic: 'Quero ser o maior número 1 da história'
21/10/2020 às 08h40

Belgrado (Sérvia) - Mais uma vez o sérvio Novak Djokovic não escondeu sua vontade de bater recordes e colocar seu nome na história do tênis mundial. Enquanto se prepara para a disputa do ATP 500 de Viena, ele falou em entrevista para o Sportski Zurnal sobre a vontade de superar o recorde de semanas como número 1 do suíço Roger Federer.

“Vou tentar marcar o máximo possível de pontos até o final da temporada porque sei que no início do próximo ano não vou conseguir somar nada. Estou disposto a bater o recorde de Federer. Meu desejo é ser o maior número 1 da história em número de semanas e vou trabalhar para que isso se torne realidade", disse Djokovic em entrevista publicada nesta quarta-feira.

Focado no recorde, 'Nole’ preferiu disputar um torneio no qual tem chances de somar pontos e por isso optou por jogar em Viena e não irá para o Masters 1000 de Paris. Como a mudança das regras no ranking por causa da pandemia lhe garantirão os 1.000 pontos conquistados no Palácio de Bercy no ano passado, ele sequer pisará no evento em 2020.

“Não estive em Viena no ano passado e posso ganhar até 500 pontos. Se eu for para as quartas de final terei garantido o primeiro lugar, uma das minhas metas para este ano. Além disso, em Londres também há muitos pontos estão em jogo”, observou o sérvio, que venceu apenas um jogo na fase de grupos do Finals em 2019.

Djokovic vem treinando com o juvenil Hamad Medjedovic em sua preparação para competir na capital austríaca. Nesta semana, o tenista de Belgrado chegou a 291 semanas como número 1 do mundo e diminuiu um pouco mais a desvantagem que tem para as 310 de Federer. Ele precisa se manter na ponta até o ranking divulgado no dia 8 de março para chegar a 311 semanas.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva