Notícias | Dia a dia
Murray: 'Não tenho mais nada a provar a ninguém'
20/10/2020 às 16h16

Colônia (Alemanha) - Derrotado na primeira rodada do ATP 250 de Colônia na semana passada, o britânico Andy Murray preferiu não disputar o segundo torneio seguido na cidade alemã por causa de uma lesão. O ex-número 1 do mundo não apenas lamentou a ausência no evento, mas avisou que pretende seguir no circuito enquanto se sentir competitivo.

“Tenho tratado de tendinite no psoas esquerdo (músculo que conecta a coluna vertebral às pernas) que me incomoda desde o US Open. Lidei com isso em treinos e jogos, mas infelizmente depois da minha última partida o desconforto ficou mais agudo. Tentei me recuperar a tempo, mas depois de jogar alguns pontos nos últimos dias percebi que não seria o suficiente”, afirmou Murray.

Em entrevista ao Suddeutsche Zeitung, o britânico avisou que pretende seguir jogando, mas que não irá insistir exageradamente nisso. “Não tenho mais nada a provar a ninguém e vou jogar o quanto puder. Se em um ano eu ainda for o número 100 do mundo, o mais provável é que eu não continue jogando”, observou o atual 116 do mundo

“Mas espero ter um ranking muito melhor, vencer jogos regulares e jogar contra os melhores do nosso esporte. Se eu puder fazer isso, vou jogar pelo maior tempo que puder. No entanto, se me encontrar em dificuldades, com poucas vitórias e jogando apenas porque amo tênis, provavelmente não será suficiente para seguir no circuito”, acrescentou Murray.

O britânico deixou claro que só continuará se conseguir ser competitivo, ainda que não vá repetir os grandes feitos de seu auge. “Quando eu parar de confiar que posso ganhar um torneio como o de Colônia, isso será uma razão definitiva que me fará parar de jogar tênis”, encerrou o tenista de 33 anos.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva