Notícias | Dia a dia
Coric acredita ter nível para alcançar o top 10
20/10/2020 às 15h03

São Petersburgo (Rússia) - Atual número 24 do mundo, subindo duas colocações após o vice-campeonato no ATP 500 de São Petersburgo, o croata Borna Coric vive bom momento, embora em questão de ranking ainda esteja um pouco abaixo da melhor marca, o 12º posto alcançado em novembro de 2018. Quadrifinalista no US Open, ele acredita que pode chegar ao top 10 se mantiver o nível de atuações.

“Se eu estiver saudável e for capaz de manter o nível que mostrei durante o US Open, sei que posso chegar mais perto do top 10. Mas ainda há um longo caminho a percorrer”, afirmou o tenista de 23 anos em entrevista ao Tennis Majors, destacando a boa campanha em Nova York, eliminando o grego Stefanos Tsitsipas e parando apenas no alemão Alexander Zverev, que depois foi até a final do torneio.

Para conseguir bons resultados, o croata sabe que não pode ser muito passivo dentro de quadra. “Sou um jogador melhor quando estou agressivo e não apenas defendendo, embora talvez esteja cometendo um pouco mais de erros. Conseguir ser agressivo e trabalhar para melhorar o meu saque são dois dos principais fatores em meu trabalho com Martin (Stepanek)”, analisou Coric.

Ele também falou um pouco sobre a comparação que surgiu no seu começo de carreira com o sérvio Novak Djokovic, um rótulo que poderia atrapalhar. Entretanto, o croata garante que apesar do fardo que essa comparação trouxe, ele até que conseguiu lidar bem. “Honestamente, não senti nenhuma pressão adicional. A única pressão que sinto é quando me olho no espelho, porque preciso saber que fiz tudo ao meu alcance para ser o melhor que posso”, comentou.

“Mas ainda assim, não é fácil ficar escutando que você é o melhor, que é o próximo Novak ou o próximo (Roger) Federer. Então minhas expectativas se tornaram um pouco irrealistas e acabei pensando que estaria entre os dez primeiros rapidamente, mas não funciona assim”, acrescentou o croata.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva