Notícias | Dia a dia
Falta de assinaturas impede homenagem a Federer
20/10/2020 às 09h59

Nascido na Basileia, Federer foi boleiro do torneio e depois conquistou 10 títulos em casa

Foto: Arquivo

Basileia (Suíça) - A tentativa de renomear a principal arena esportiva da Basileia acabou não dando certo por falta de assinaturas suficientes. Com isso, não será desta vez que o astro do tênis local Roger Federer terá a oportunidade de dar nome ao principal palco esportivo da Basileia.

Por causa da pandemia do coronavírus, houve maior dificuldade na coleta das assinaturas, que ficaram em 1.800, bem abaixo das 3.000 necessárias para desencadear uma votação pública local sobre a proposta.

Apesar do contratempo, de acordo com a agência de notícias suíça ATS, espera-se que o St. Jakobshalle, que recebe anualmente recebe o ATP 500 da Basileia, seja renomeado com o nome de Roger Federer Arena no futuro.

Na Suíça, renomear ruas, praças e similares em homenagem a figuras públicas é normalmente uma honra póstuma. A ideia de mudar o nome da arena surgiu em 2012, mas todas as tentativas até agora fracassaram.

O St. Jakobshalle tem capacidade para 12.400 espectadores e foi inaugurado em 1976. A arena completou uma renovação de três anos em 2018 a um custo de cerca de 100 milhões de francos suíços (por volta de US$ 110 milhões).

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva