Notícias | Dia a dia
Motivação de Djokovic é ser o maior, afirma Vajda
17/10/2020 às 09h08

Bratislava (Eslováquia) - Com apenas uma derrota efetiva na temporada e cada vez mais perto de marcas importantes na carreira, o sérvio Novak Djokovic nunca esteve em melhor forma física, é mentalmente o mais forte do circuito e está determinado a buscar os recordes de Roger Federer. Isso é o que conta seu treinador Marian Vajda, em entrevista ao diário Novosti. "Sua motivação é ser o melhor da história".

O treinador acredita que Djokovic nunca esteve tão bem preparado para os torneios. "Está na melhor forma, está mais maduro e mais forte. É verdade que está numa faixa etária em que precisa trabalhar muitíssimo na parte física. Ganhou consistência em seu jogo e usa bem a experiência para chegar onde está. E mantém sua paixão pelo tênis", frisa.

Vajda acredita que seu pupilo irá superar Federer tanto em quantidade de troféus de Grand Slam como em semanas como líder do ranking. "Esses são seus objetivos de agora e acredito muito que conseguirá. Na verdade, pode atingir todos os recordes do tênis e está perto de conseguir. Está bem fisicamente e, comparado à idade de Federer, mais cedo ou mais tarde ficará à frente nas estatísticas".

Para ele, o que mais destaca Djokovic dos demais jogadores é sua cabeça. "Sempre trabalha muito duro para poder ser o melhor. Conhece seu objetivo, sabe como atingir a meta e luta constantemente para chegar lá o mais rápido possível. Nestes últimos anos, encontrou o caminho correto para isso e sei que não irá parar de tentar até conseguir".

O treinador diz que o relacionamento com o tenista é fácil. "Nos damos muito bem, porque o jeito sérvio é um tanto parecido com o eslovaco. Temos um humor muito semelhante, contamos as mesmas piadas e temos iguais pontos de vistas em determinados temas. Acho que isso tem sido a chave para que as coisas funcionem tão bem entre nós".

A derrota inesperadamente fácil na decisão de Roland Garros foi fruto de um dia de pouca sorte, na opinião do técnico. "Novak teve um de seus piores dias em quadra e Nadal acertou absolutamente tudo. É preciso cumprimentar Rafa por isso, mas Djokovic segue como número 1 do mundo e estamos muito orgulhosos de seu rendimento em 2020".

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva