Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Sul-americanos brilham e fazem semi em todas chaves
07/10/2020 às 09h48

Com a vitória de Alexa Guarachi nas duplas, todas as semifinais terão pelo menos um sul-americano

Foto: WTA

Paris (França) - Além de ficar marcada por acontecer fora de época, a edição de 2020 de Roland Garros também poderá ser lembrada pelo grande desempenho dos sul-americanos, que conseguiram colocar pelo menos um representante em cada semifinal. A última a alcançar esse feito foi a chilena Alexa Guarachi, que ao lado da norte-americana Desirae Krawczyk superou as japonesas Ena Shibahara e Shuko Ayoama nas quartas de final.

Cabeças de chave 14, Guarachi e Krawczyk levaram a melhor sobre as algozes da paulista Luisa Stefani com parciais de 6/0 e 6/4, garantindo vaga na semi. Agora elas esperam as vencedoras da partida que de um lado tem a polonesa Iga Swiatek e a norte-americana Nicole Melichar e do outro as norte-americanas Asia Muhammad e Jessica Pegula.

Além da duplista chilena, entre as mulheres também vem brilhando a argentina Nadia Podoroska, que eliminou a ucraniana Elina Svitolina e se tornou a primeira jogadora a alcançar as semifinais de Roland Garros vinda do quali na Era Aberta.

No masculino a situação é ainda melhor. Em simples novamente a Argentina faz as honras do continente com Diego Schwartzman, que vive grande momento no circuito. Ele derrotou o austríaco Dominic Thiem, campeão do US Open e vice em Paris nos dois últimos anos, e agora desafiará o espanhol Rafael Nadal na semi, tentando repetir a vitória recente no Masters de Roma.

Já nas duplas os sul-americanos têm um representante garantido na final. Isso porque o mineiro Bruno Soares, ao lado do parceiro croata Mate Pavic, enfrenta em uma das semifinais os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, cabeças de chave número 1. Quem vencer representará o continente na decisão e poderá trazer mais um título para cá.

Comentários