Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Kvitova se emociona ao lembrar difícil retorno
05/10/2020 às 21h00

Kvitova voltou ao palco de seu retorno ao circuito profissional

Foto: Julien Crosnier/FFT

Paris (França) - Ao garantir seu lugar nas quartas de final de Roland Garros, Petra Kvitova acabou se emocionando ainda com o jogo contra a chinesa Shuai Zhang em andamento. A tcheca conta que, no último game, começou a pensar em seu difícil caminho para voltar às quadras. Ela sofreu ferimentos graves na mão durante um assalto em sua casa no fim de 2016 e corria o risco de nunca mais jogar. Após cirurgias delicadas e um longo tratamento, conseguiu voltar ao circuito justamente na quadra principal de Roland Garros, cerca de seis meses depois.

"Sim, fiquei um pouco emocionada nos dois últimos pontos da minha partida. Mas foram memórias felizes, de quando eu fiz meu retorno aqui em 2017 e pisei na quadra Philippe Chatrier. Eu realmente não conseguia me imaginar nas quartas de final deste Slam de novo", disse Kvitova depois de vencer Zhang por 6/4 e 6/2.

"Quando estou falando, fico emocionada de novo. Foi uma longa jornada. Tudo veio para a minha mente quando eu tinha toda a minha família e as pessoas que eu amava, que me ajudaram a passar por um momento difícil. Eu não sei, simplesmente tudo voltou à minha mente. Eu só os via lá, enquanto jogava na Philippe Chatrier. Foi muito bom ganhar a partida e chegar às quartas de final".

A tcheca também comentou sobre a dura derrota sofrida nas oitavas de final do US Open, em que perdeu quatro match points na partida contra a norte-americana Shelby Rogers. "Na verdade, isso não me afetou em nada. Estou muito feliz que, depois de alguns dias, eu superei essa derrota. É claro que não é fácil perder depois de ter quatro match points, mas eu tentei me motivar para voltar ao saibro e treinei mais. Eu estava pensando apenas nisso. Estou feliz que as memórias daquele derrota não vão voltar".

Apesar de ter melhores resultados em superfícies mais rápidas, Kvitova já ganhou cinco títulos no saibro, incluindo torneios fortes como Madri e Stuttgart. Ela também tem uma semifinal de Roland Garros, alcançada ainda em 2012. "Não sou uma jogadora que sempre teve sucesso no saibro. Já ganhei algumas vezes, mas acho que foi um milagre ter feito uma semifinal aqui em Roland Garros. Lembro que perdi para a Maria [Sharapova] e ela ganhou o torneio depois. Estar novamente nas quartas de final depois de oito anos é ótimo. Sinto que ainda sou capaz de jogar em todas as superfícies. Lembro de um ano que eu ganhei títulos em todos os pisos e isso me deixou muito feliz".

Kvitova agora enfrenta a alemã Laura Siegemund, veterana de 32 anos e 66ª do ranking. "Nunca joguei contra ela e nem mesmo treinamos juntas, mas sei que ela tem muita variedade em seu jogo e está jogando muito bem, caso contrário não teria chegado até aqui. É uma grande conquista para ela e o jogo não será fácil. Estou realmente ansiosa. Sei que ela pode jogar bem no saibro, porque já ganhou o torneio de Stuttgart uma vez. Definitivamente, ela é uma adversária perigosa".

Comentários