Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Último francês impõe pior derrota em Slam a Wawrinka
02/10/2020 às 14h08

Gaston foi apenas o segundo francês a bater Wawrinka em Roland Garros

Foto: ATP

Paris (França) - Convidado da casa, o jovem Hugo Gaston foi o responsável pela maior surpresa desta sexta-feira eliminando o suíço Stan Wawrinka logo na terceira rodada. Último francês ainda vivo na chave, o tenista de 20 anos levou a melhor sobre um inconsistente rival, que não conseguiu nem mesmo aproveitar uma pausa por chuva para colocar a cabeça no lugar e acabou superado com parciais de 2/6, 6/3, 6/3, 4/6 e 6/2.

Esta foi a pior derrota da carreira de Wawrinka em termos de ranking nos Grand Slam. Ele nunca havia perdido para um rival que ocupasse uma colocação pior que a 239ª de Gaston. Até então, o tenista de Lausanne tinha como eliminação mais amarga a para o argentino Juan Martin del Potro, então 165 do mundo, na segunda rodada de Wimbledon em 2016. Em Roland Garros, o tenista de mais baixo ranking a derrotá-lo era o espanhol Guillero Garcia-Lopez (67º) no torneio de 2018.

Nas oitavas de final, o francês de 20 anos terá um páreo ainda mais duro pela frente, medindo forças com o austríaco Dominic Thiem, terceiro mais bem cotado ao título, vice-campeão nas duas últimas edições e campeão do US Open no mês passado.

Amplo favorito contra o francês, Wawrinka teve um bom começo de partida e conquistou o primeiro set sem sufoco. Depois do 2/2, o campeão do 2015 foi para cima e anotou duas quebras seguidas, uma no sexto game e outra no oitavo, fechando a parcial contra Gaston no quarto set-point que teve a seu favor.

Contudo, uma quebra logo no game que abriu o segundo set acabou mudando a história do jogo. O atleta da casa abriu 2/0 e cresceu, não encarou um break-point sequer contra e ainda conseguiu bater o serviço do rival uma vez mais, no nono e último game. Com a partida empatada, veio a chuva e a paralisação que poderia ajudar Wawrinka a retomar o controle.

Só que no retorno, Gaston manteve o momento e seguiu melhor que o suíço. Ele obteve uma quebra no sexto game do terceiro set e salvou quatro break-points na sequência, dois deles no sétimo game e mais dois no nono, para virar o placar e abrir 2 a 1.

Precisando vencer a quarta parcial para não ser eliminado, o atual 17 do mundo abriu 3/0 de cara e deu sinais de recuperação. Mas uma série de três quebras entre o quinto game e o sétimo, fez a vantagem do suíço ser neutralizada e deixou a partida com ares de drama. Wawrinka mostrou então por que já venceu em Paris uma vez, arrancou uma quebra no décimo game e empatou o jogo.

Depois de buscar a sobrevivência, o suíço praticamente sumiu de quadra e foi varrido no quinto set, em que amargou três quebras e não venceu um game sequer, sendo eliminado com um ‘pneu’. Wawrinka até terminou a partida com 14 bolas vencedoras a mais (49 a 35), mas compensou bastante nos erros não forçados, com 33 a mais que Gaston (74 a 41).

Comentários