Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Duplas de Melo e Soares começam bem em Paris
30/09/2020 às 18h06

Melo e Kubot jogaram na quadra Philippe Chatrier, a principal do complexo parisiense

Foto: Peter Staples/ATP Tour

Paris (França) - O tênis brasileiro começou bem na disputa das duplas masculinas em Roland Garros. Os mineiros Marcelo Melo e Bruno Soares venceram suas partidas de estreia com tranquilidade em Paris. O gaúcho Marcelo Demoliner também esteve em quadra nesta quarta-feira, mas foi eliminado ainda em sua partida de estreia.

Melo e o polonês Lukasz Kubot marcaram um duplo 6/2 contra os convidados franceses Arthur Cazaux e Harold Mayot. A partida aconteceu na quadra Philippe Chatrier, principal estádio do complexo de Roland Garros. O mineiro de 37 anos já foi campeão em Paris no ano de 2015, quando atuava ao lado do croata Ivan Dodig.

Esta é a 14ª participação seguida de Marcelo Melo em Roland Garros. Além do título conquistado há seis anos, o mineiro tem uma semifinal em 2015 e duas campanhas até as quartas. Ele e Kubot são os cabeças de chave número 4 do torneio e agora enfrentam os norte-americanos Nicholas Monroe e Tommy Paul. A partida já será nesta quinta-feira.

Já Bruno Soares e o croata Mate Pavic tentam manter o embalo depois de conquistarem recentemente o título do US Open. Cabeças de chave número 7, eles superaram o neozelandês Marcus Daniell e o austríaco Philipp Oswald por 6/2 e 6/3. Seus próximos rivais serão o argentino Andres Molteni e o monegasco Hugo Nys.

Veterano de 38 anos, Bruno Soares seis títulos de Grand Slam, três em duplas masculinas e três nas duplas mistas. O mineiro de Belo Horizonte ainda busca uma conquista inédita no saibro parisiense. Ele disputa a competição pela 13ª vez seguida e esteve em duas semifinais, nos anos de 2008 e 2013.

A única derrota brasileira na rodada foi com Marcelo Demoliner. O gaúcho de 31 anos e seu parceiro holandês Matwe Middelkoop foram superados pelo britânico Daniel Evans e o polonês Hubert Hurkacz por 7/6 (7-2), 3/6 e 7/5. O final do jogo teve um clima tenso, já que Middelkoop não gostou da maneira como Evans comemorava os pontos. O árbitro Arnaud Gabbas teve que acalmar os ânimos.

Esta foi a quinta participação em Roland Garros para Demoliner, que havia parado na segunda rodada nos dois últimos anos. Suas melhores campanhas em Grand Slam foram até as oitavas.

Comentários