Notícias | Dia a dia
Monteiro enfrenta promissor italiano na final às 7h
25/09/2020 às 15h29

Forli (Itália) - Finalista do challenger de Forli, Thiago Monteiro entra em quadra neste sábado às 7h (de Brasília) em busca do título. O número 1 do Brasil enfrenta o jovem italiano de 18 anos Lorenzo Musetti. Enquanto Monteiro já tem cinco títulos de challenger, um deles conquistado no início deste ano em Punta del Este, e está em sua oitava final, Musetti decide um torneio deste porte pela primeira vez.

"Um dos objetivos que eu buscava aqui era fazer muitos jogos e chegar na final. Agora é buscar o título", disse Monteiro, que incluiu o torneio de última hora em seu calendário e, por isso, ainda teve que jogar o quali. Com isso, já venceu seis jogos seguidos em Forli. "Jogo após jogo, eu fui encontrando o ritmo. Sei que o meu adversário está jogando bem também, mas estou confiante e preparado para fazer uma boa partida e levantar o troféu".

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

@thiagomonteiro94 🇧🇷 è il primo finalista degli Internazionali di Tennis Città di #Forlì #tennis #atpchallenger #tennisvillacarpena #meftennisevents

Uma publicação compartilhada por MEF tennis events (@meftennisevents) em

O cearense de 26 anos e 89º do ranking vem de uma semifinal difícil contra o italiano Andrea Pellegrino, 343º colocado, e precisou de 2h06 para vencer por 6/4, 4/6 e 6/1. "Venci um jogador que sabe fazer de tudo. Para vencer tive que dar 100% em quadra. Acho que fui forte, principalmente de um ponto de vista mental".

"Foi um jogo duro. As condições estavam difíceis, ventou muito. Tive uma boa oportunidade de sair na frente logo no começo e também no segundo set, mas acabei cometendo alguns erros. Eu estava um pouco mais tenso do que o normal e ele aproveitou a oportunidade e jogou melhor no final do segundo set. No terceiro, comecei com um ritmo bem forte. Aproveitei uma quebra logo no começo e senti que ele baixou um pouco, aí mantive a intensidade", explicou o canhoto de Fortaleza.

Monteiro pode ficar bem perto do melhor ranking da carreira

A campanha até a final em Forli rende 60 pontos pelas quatro vitórias da chave principal e mais 5 pontos pelo resultado do quali. Como o ranking considera apenas os 18 melhores resultados de cada jogador, Monteiro tem que descartar 16 pontos. Por enquanto, o cearense está ganhando cinco posições no ranking. Se for campeão, recebe mais 40 pontos e irá ao 75º lugar, uma posição abaixo do melhor ranking da carreira. "Aqui em Forli, eu me sinto ótimo. Finalmente há alguns espectadores nas arquibancadas e o ambiente é realmente agradável", afirmou.

Musetti já venceu Nishikori e Wawrinka no circuito
Adversário de Monteiro na final, Lorenzo Musetti vem de uma ótima campanha no Masters 1000 de Roma. Na semana passada, o jovem italiano passou pelo qualificatório e venceu dois grandes jogadores na chave principal, Stan Wawrinka e Kei Nishikori. Com isso, o ex-líder do ranking juvenil tornou-se o primeiro jogador nascido em 2002 a vencer jogos na ATP e deu um salto no ranking, do 249º para o 180º lugar.

"Esperava jogar a final contra o meu amigo Andrea Pellegrino, mas o Monteiro foi melhor. Ele é um adversário forte, top 100 e canhoto, mas com certeza vou entrar em campo para vencer", disse Musetti, que tenta conquistar o primeiro challenger na carreira. O italiano, que executa o backhand com apenas uma mão, foi campeão juvenil do Australian Open de 2019 e vice no US Open de 2018, quando perdeu a final para o brasileiro Thiago Wild.

Na semifinal desta sexta-feira, Musetti vencia o sul-africano Lloyd Harris por 4/6, 6/0 e 4/1 quando o rival abandonou por lesão no quadril. "Em primeiro lugar, sinto muito pelo Harris. Ele é um jogador muito bom e merecia a vitória, já que estava jogando melhor do que eu. Mas ele não estava 100% e preferiu não arriscar, então decidiu abandonar o jogo", admitiu o italiano. "Estava muito nervoso, não joguei bem com o vento, mas estou claramente muito contente com esta primeira vez na final. A campanha no Masters 1000 de Roma trouxe confiança e consciência, mas sei que ainda tenho que trabalhar muito para melhorar os vários aspectos do meu tênis".

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva