Notícias | Dia a dia
Ostapenko avança e sonha em voltar aos bons dias
23/09/2020 às 17h39

Ostapenko ganhou apenas sua segunda partida sobre uma top 10 sobre as quadras de saibro

Foto: WTA

Estrasburgo (França) - Campeã inesperada de Roland Garros há três anos, a letã Jelena Ostapenko raramente conseguiu mostrar novamente seu grande tênis. Mas, ainda aos 23 anos e agora com novo treinador, a ex-top 5 acredita que poderá novamente figurar entre as estrelas do circuito.

Nesta quarta-feira, Ostapenko virou o placar e liderava o terceiro set quando a holandesa e cabeça 3 Kiki Bertens desistiu por contusão. Com o placar de 4/6, 6/4 e 4/2, a letã está nas quartas de final e enfrentará agora a japonesa Nao Hibino, que tirou Sloane Stephens na estreia e hoje superou a cazaque Zarina Diyas, por 7/5 e 6/3.

Ostapenko chegou a estar uma quebra atrás no segundo set antes de iniciar a reação e acredita que o sucesso foi fruto de uma tática mais conservadora, sem arriscar tanto. "Ganhar por desistência não é a melhor maneira de encerrar uma partida, mas estou satisfeita com a forma com que lutei. Estava um tanto apressada no começo. Depois, joguei de forma mais inteligente, usando curtinhas e saques com efeito", afirmou a letã, que chegou a cair para o 83º do ranking e agora figura no 43º.

Agora sob a tutela de Thomas Hogstedt, Jelena continua a acreditar no seu potencial. "Sempre soube que posso jogar num nível mais alto, como fiz em 2017, ao ganhar de Simona Halep na final de Paris. Tenho condição de ganhar outro Slam, voltar ao top 5. É para isso que estou trabalhando".

Nos outros jogos da quarta-feira, que completaram as oitavas de final, a bielorrussa Arina Sabalenka levou um susto diante da russa Anna Blinkova, mas reagiu e marcou 1/6, 6/4 e 6/2, tendo agora como adversária a tcheca Katerina Siniakova que venceu a russa Ekaterina Alexandrova por 6/2 e 6/4.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva