Notícias | Dia a dia
Após título, Djokovic sabe que precisa melhorar
21/09/2020 às 18h58

Sérvio reitera sua busca por novos recordes no circuito profissional

Foto: Peter Staples/ATP Tour

Roma (Itália) - Apesar de ter conquistado o título do Masters 1000 de Roma nesta segunda-feira, Novak Djokovic não está tão satisfeito com seu nível de tênis. O número 1 do mundo sabe que precisa melhorar para ter chance de vencer o Grand Slam francês. A disputa em Paris já começa no próximo domingo.

"Acho que tive uma semana muito boa. Não acho que joguei meu melhor tênis, para ser honesto. Sem querer parecer arrogante aqui. É claro que estou muito satisfeito e feliz por ganhar um título. Mas sei que ainda tenho que melhorar e espero ser capaz de aumentar esse nível para Roland Garros, porque isso será necessário se eu quiser ir longe no torneio", disse Djokovic após a vitória na final sobre o argentino Diego Schwartzman por 7/5 e 6/3.

"Mas o lado positivo é que eu saquei muito bem durante todo o torneio e encontrei meu, digamos, jogo quando era mais necessário, nos momentos decisivos. Quando realmente precisava melhorar jogo, eu consegui", acrescentou o sérvio de 33 anos, que comemorou seu 81º título no circuito.

+ Penta em Roma, Djoko retoma recorde de Masters
+ Djokovic supera Sampras e é o 2º maior número 1

A segunda-feira foi de duas marcas importantes para Djokovic. Ele iniciou a 287ª semana na liderança do ranking, ultrapassando a marca de Pete Sampras. Agora o sérvio tenta igualar as 310 semanas como número 1 do mundo de Roger Federer. Esse número pode ser alcançado no dia 8 de março. De quebra, o título em Roma fez com que ele chegasse 36 conquistas de Masters 1000, uma a mais que Rafael Nadal. O vencedor de 17 títulos de Grand Slam precisa de mais três para igualar as 20 conquistas de Federer.

"Eu conheço todos os dados e os recordes. Sei que posso ultrapassar o Roger nos primeiros meses de 2021. Estou muito perto, numa óptima posição, saudável e jogando bem. São os dois objetivos que tenho como profissional, ultrapassar os recordes do Roger em títulos de Grand Slam e nas semanas como o número 1. Para isso, preciso focar principalmente nos Grand Slams e também nos Masters 1000".

O sérvio começou o jogo desta segunda-feira perdendo por 3/0, com duas quebras seguidas, e destacou a boa partida de Schwartzman, especialmente no início da partida, quando chovia um pouco e a quadra estava mais pesada. "Diego jogou muito bem em condições difíceis, especialmente no início. Ele vinha de jogos longos e teve vitórias fantásticas contra Nadal e Shapovalov. Então, ele teve um torneio fenomenal e eu desejo a ele tudo de melhor no resto da temporada".

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva