Notícias | Dia a dia
Penta em Roma, Djoko retoma recorde de Masters
21/09/2020 às 14h09

Roma (Itália) - No dia em que assumiu a vice-liderança entre os maiores número 1 do mundo, o sérvio Novak Djokovic também obteve outra expressiva marca. Ao bater o argentino Diego Schwartzman na final de Roma, com parciais de 7/5 e 6/3, ele retomou o recorde de títulos de Masters 1000, ultrapassou o espanhol Rafael Nadal e comemorou sua 36ª taça neste nível.

Quando iniciou sua grande arrancada no circuito, em 2011, Djokovic tinha apenas 5 Masters contra 18 de Nadal. Finalmente empatou a conta em Indian Wells de 2016 e chegou então a abrir 30 a 28 ao final daquela temporada. Um jejum entre agosto de 2016 e julho de 2018, conseguiu inverter novamente o placar para o espanhol, com 33 a 30.

Na temporada passada, o canhoto de Mallorca chegou aos 35 títulos deste nível com Roma e Canadá, marca que ‘Nole’ igualou neste ano em Cincinnati. Depois de perder as últimas três finais que disputou no Foro Itálico -  Nadal (2019), Alexander Zverev (2017) e Andy Murray (2016) -, o sérvio voltou a comemorar o título no saibro italiano e vai para Roland Garros embalado.

Além de colocar mais 400 pontos na conta com a conquista e ampliar ainda mais a vantagem para seus perseguidores no ranking, o tenista de Belgrado leva uma premiação de 205.200 euros para casa. O vice-campeão Schwartzman soma 240 pontos a mais no ranking, insuficientes para o levarem ao inédito top 10 que viria com o título e subiu de 15º para 13º. Ele ainda faturou premiação de 150 mil euros.

Irritadiço, Djokovic não largou muito bem na partida e errou mais do que o costume. A chuva que caiu, sem muita força, nos games iniciais, também causou reclamações do sérvio, que perdeu os três primeiros games com duas quebras contra. Só que Schwartzman não aproveitou o momento e em pouco tempo viu o líder do ranking deixar tudo igual em 3/3.

Com a cabeça mais no lugar e o placar igualado, o sérvio obteve mais uma quebra e assim levou o primeiro set. Ele manteve o foco no começo da segunda parcial e saiu batendo o saque de Schwartzman, que prontamente devolveu a desvantagem. Depois de salvar três break-points no quinto game, Djokovic anotou a quebra decisiva no oitavo e em seguida sacou para fechar o jogo.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva