Notícias | Dia a dia
Brilhante, Schwartzman encerra jejum contra Nadal
19/09/2020 às 18h39

Schwartzman comemora a oitava vitória contra top 10 e chega a uma semi de Masters pela segunda vez

Foto: Divulgação

Roma (Itália) - Depois de ter perdido os nove primeiros jogos que fez contra Rafael Nadal no circuito, incluindo quatro duelos no saibro, Diego Schwartzman enfim conseguiu derrotar o espanhol e garantiu vaga na semifinal do Masters 1000 de Roma. O argentino de 28 anos e número 15 do mundo marcou as parciais de 6/2 e 7/5 para derrubar o eneacampeão do torneio após 2h03 de partida no Foro Itálico.

Vencedor de três títulos de ATP, Schwartzman alcança sua segunda semifinal de Masters 1000, repetindo a campanha que havia feito no ano passado em Roma. Ele agora enfrenta o canadense Denis Shapovalov, jovem de 21 anos e 14º colocado. O confronto, que é inédito no circuito, também pode valer vaga no top 10. Se vencer, o canadense entrará no grupo dos 10 melhores, enquanto o argentino precisa ser campeão para conseguir a vaga.

Nadal agora segue para Roland Garros
Por sua vez, Nadal segue para Paris e foca na preparação para o torneio de Roland Garros. O Grand Slam francês começa em oito dias. O espanhol de 34 anos tem doze títulos no saibro parisiense e tenta conquistar o 20º Slam, o que o faria igualar o recorde de conquistas de Roger Federer. De quebra, poderia abrir um pouco mais de vantagem para Novak Djokovic, que é um ano mais novo e já tem 17 troféus de Slam.

Nadal não precisa se preocupar com a defesa de pontos este ano. Ele vai manter os mil pontos de Roma e os 2 mil de Roland Garros do ano passado. Isso porque a ATP modificou o cálculo do ranking nesta temporada. São considerados os 18 melhores resultados em 22 meses, entre março de 2019 e dezembro de 2020. Como esse período compreende duas edições de Roma e Roland Garros, apenas as melhores campanhas são mantidas e as piores são descartadas.

O espanhol ficou exatos 200 dias sem jogar uma partida sequer. Antes do Masters 1000 de Roma, seu último torneio havia sido o ATP 500 de Acapulco, na última semana de fevereiro, quando ele foi campeão. Veio, então, a pandemia da Covid-19 que paralisou o circuito por cinco meses. Nadal não disputou sequer exibições durante o período e também preferiu não disputar o US Open, em razão do aumento nos casos da doença nos Estados Unidos e para priorizar a temporada de saibro.  

Argentino foi muito consistente no set inicial
Schwartzman fez um ótimo primeiro set e se mostrou bastante consistente do fundo de quadra. Tanto é que ele terminou a parcial com 13 winners, dois a mais que Nadal, e apenas cinco erros não-forçados contra 12 de seu adversário. Além disso, o argentino fez 22 a 10 nos ralis disputados com mais de cinco trocas de bola, enquanto o espanhol só foi melhor nos pontos mais curtos, com até cinco trocas, marcando 11 a 9.

Durante o set inicial, Nadal colocou apenas 46% de primeiros serviços em quadra e só venceu cinco dos 14 pontos jogados com seu segundo serviço. Apesar disso, o espanhol começou o jogo confirmando seus serviços e foi o primeiro a ter um break point, ainda no quarto game da partida, mas jogou um forehand na rede. Depois do empate por 2/2, o argentino conseguiu uma quebra de zero para passar à frente e ampliou a vantagem pouco depois, chegando a vencer cinco games seguidos.

A pressão de Schwartzman sobre o saque de Nadal continuou no início do segundo set. O argentino criou dois break points logo de cara e mais um no quinto game, mas o espanhol sempre conseguia escapar. Mais tarde, com o placar empatado por 3/3, o jogador de 28 anos finalmente conseguiu passar à frente no placar do set, mas Nadal devolveu a quebra de imediato.

Mas a reação não significou uma mudança na dinâmica do jogo. Schwartzman seguiu muito firme nas devoluções de saque e conseguiu mais uma quebra. Depois disso, restava ao jogador de 1,70m confirmar mais um game de serviço. Sacando para o jogo, o argentino fez um game muito ruim e cedeu o empate por 5/5, mas ele não perdeu o foco. Com grandes devoluções, voltou à frente do placar e sacou bem no game seguinte para marcar sua oitava vitória contra top 10 e uma das mais expressivas da carreira. 

Schwartzman liderou a estatística de winners por 31 a 21. O argentino errou 17 vezes e contou com 30 erros de Nadal. Cada jogador venceu 21 pontos disputados em até cinco trocas de bola. Nos ralis com mais de cinco rebatidas, Schwarztman fez 49 a 31.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva