Notícias | Dia a dia
Djokovic revela conversa com juíza de linha atingida
14/09/2020 às 14h58

Roma (Itália) - Envolvido no lance mais polêmico deste US Open, quando acertou uma bolada em uma juíza de linha e assim acabou desclassificado do torneio, o sérvio Novak Djokovic quer deixar o ocorrido para trás, mas sem se esquecer da responsabilidade que tem como ícone do esporte. Já a postos em Roma, para a disputa do Masters 1000 local, ele lamentou sua atitude.

“Houve muita especulação sobre se eu merecia ou não, mas aceitei e deixei para trás. Eu conversei com ela no momento e vi que estava bem. Fiquei muito triste pelo drama que lhe causei, até porque ela esteve lá voluntariamente por amor a esse esporte”, contou o número 1 do mundo, que revelou ter ligado para a juíza depois de tudo que aconteceu para saber como ela estava.

“Liguei para a juíza de linha porque era importante para mim que ela estivesse bem. Não queria machucá-la e o fato de estar bem me aliviou. Através da minha mente e do meu coração, processei o que aconteceu, aprendi minha lição e quero deixar isso para trás”, afirmou Djokovic, em uma atitude bem diferente a de alguns fãs, que ameaçaram a árbitra nas redes sociais.

O sérvio só lamentou ter perdido uma boa oportunidade em um torneio no qual vinha muito bem e comemorou poder já se focar em outro evento. “É ótimo que possa jogar novamente logo na semana seguinte e assim deixar tudo isso para trás rapidamente. Foi uma pena porque estava me sentindo muito bem, confiante e batendo muito bem na bola”, comentou o líder do ranking.

“Se você fizer o que eu fiz, provavelmente poderá acertar em alguém e as regras serão claras. Eu aceitei e superei isso. Foi um choque terminar o US Open dessa forma. É a primeira vez na minha carreira que algo assim me acontece. Foi uma pena, mas eu a acertei em um lugar estranho. Não esqueci e acho que nunca mais vou fazer isso porque é algo que você acaba levando para a vida toda”, finalizou Djokovic.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva