Notícias | Dia a dia
'Na minha opinião, Djokovic teve azar', diz Nadal
14/09/2020 às 14h03

Roma (Itália) - O Masters 1000 de Roma será o primeiro torneio do espanhol Rafael Nadal desde o retorno do circuito, que foi retomado semanas atrás com os principais torneios nos Estados Unidos e eventos menores no saibro europeu. Neste período muita coisa já aconteceu, principalmente no US Open, que terminou com o título de Dominic Thiem e ainda teve a desclassificação do sérvio Novak Djokovic.

Nadal não escapou de ser questionado sobre o ocorrido com o número 1 do mundo em Nova York. "Na minha opinião, Djokovic teve azar. Fiquei muito triste por ter perdido uma grande oportunidade naquele Grand Slam. Ele não deveria ter feito aquilo, mas são coisas que acontecem. Foi uma circunstância um tanto infeliz, mas na quadra é importante manter o controle para evitar situações desse tipo”, avaliou o espanhol.

Beneficiado pela desclassificação do sérvio, Pablo Carreño se aproveitou do ocorrido para ir até as semifinais e agora será o rival de estreia de Nadal. “A maioria dos tenistas já jogou e eu ainda não. Meu primeiro rival no torneio será Carreño, um cara que foi muito bem em Nova York. É um adversário muito difícil e espero estar preparado para este primeiro encontro”, comentou o canhoto de Mallorca, feliz por poder voltar à ação.

“Todos nós passamos por tempos muito difíceis e temos que saber como nos adaptar a essas circunstâncias. Não será a mesma coisa jogar sem público, mas pelo menos vamos jogar um torneio novamente. Estou muito animado por estar aqui em Roma”, comentou o número 2 do mundo, que enalteceu a conquista de Thiem no último domingo.

“Estou muito feliz pelo Dominic. Ele já merecia esse título. É um grande trabalhador e vem lutando há muito tempo para atingir esse objetivo. Ele também é uma pessoa fantástica e estou muito feliz com sua vitória”, falou Nadal sobre o primeiro título de Grand Slam da carreira do austríaco, que perdeu duas finais de Roland Garros para o espanhol.

Por fim, Rafa comparou a volta agora com o retorno após uma lesão. “A situação é parecida, mas não é totalmente igual. Tenho treinado muito duro há várias semanas, mas não tenho um ritmo competitivo e isso vai vir só com o passar dos jogos. Tenho que ter paciência e manter a calma, mas acima de tudo, preciso controlar as emoções e procurar automatismos que ficaram perdidos devido à inatividade”, finalizou.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva