Notícias | Dia a dia | US Open
Osaka sai do buraco, vira e celebra seu terceiro Slam
12/09/2020 às 19h09

Osaka segue imbatível em finais de Slam, vencendo as três que disputou até então

Foto: Simon Bruty/USTA

Nova York (EUA) - Na reedição da final do Premier de Cincinnati, que acabou não acontecendo por desistência de Naomi Osaka, neste sábado a japonesa provou que valeu a pena se poupar para a disputa do US Open. Mesmo começando bem mal, ela teve forças para se encontrar no jogo e virar para cima da bielorrussa Victoria Azarenka, fechando o jogo com parciais de 1/6, 6/3 e 6/3, após 1h54 de embate.

As duas entraram em quadra com os mesmos dois títulos de Grand Slam no currículo, mas Osaka fez valer seu curto histórico de invencibilidades em finais deste nível para conquistar sua terceira taça, a segunda em Nova York. Do outro lado, Azarenka perde pela terceira vez uma final de US Open, repetindo o vice de 2012 e 2013, anos em que faturou seus títulos do Australian Open.

Com a conquista deste sábado, o sexto troféu de sua carreira e o primeiro de 2020, a japonesa voltará ao top 5 da WTA, saindo da atual nona colocação para a terceira. Azarenka terá também uma interessante ascensão no ranking, retornando ao top 15. Ela vai sair do atual 27º posto para o 14º na lista da próxima segunda-feira.

Azarenka começou com tudo na partida e dominou as ações durante todo o primeiro set. Com incrível aproveitamento de primeiro serviço, colocando 94% das primeiras bolas em quadra, ela não deu chances à rival e venceu 76% dos pontos disputados. Do outro lado, Osaka sofreu com o saque: teve aproveitamento de apenas 44%, acabou levando três quebras, a primeira delas logo no game inicial, depois uma no quinto e outra no sétimo e último.

O embalo da bielorrussa seguiu no começo da segunda parcial, com 2/0 e saque. Só que Osaka se achou um pouco mais em quadra, devolveu imediatamente a quebra e deixou tudo igual em 2/2. Aproveitando o bom momento, a japonesa conquistou novo break no sétimo game e abriu 5/3 em seguida, se aproximando da vitória no segundo set. Cada vez mais solta, ela ainda bateu o saque de Azarenka mais uma vez antes de empatar o jogo.

No terceiro e decisivo set o momento seguiu com a japonesa, que conseguiu uma quebra no quarto game para abrir 3/1 e saque. Osaka encarou um 0-40 no quinto game, mas salvou o triplo break-point que teve contra e deu enorme passo para a conquista. Azarenka até devolveu o break, mas falhou ao sacar para empatar no oitavo game, perdeu o saque novamente e acabou perdendo também a partida.

O crescimento de Osaka no decorrer da partida ficou evidente nos números. No primeiro set ela anotou apenas 5 bolas vencedoras, subindo para 16 no segundo e 13 no terceiro (34 no total). Os erros não forçados foram na direção oposta, começaram com 13, foram para 5 e terminaram com 8 (26 no total). Do outro lado, Azarenka terminou com 30 winners e 22 erros não forçados.

A campeã embolsou US$ 3 milhões, o que eleva o faturamento em torneios oficiais de Osaka para US$ 17,7 mi, mas a japonesa é apontada pela revista Forbes como a atleta mais bem remunerada do mundo no momento. Vika ganhou a metade.

Comentários