Notícias | Dia a dia | US Open
'Estou feliz com o nível que mostrei', celebra Thiem
12/09/2020 às 13h57

Thiem tenta evitar seu quarto vice-campeonato em quatro finais de Grand Slam

Foto: Simon Bruty/USTA

Nova York (EUA) - Principal favorito na parte de baixo da chave masculina do US Open, o austríaco Dominic Thiem confirmou sua condição e chegou a mais uma final de Grand Slam, tentando agora no US Open espantar de vez o azar que teve nas outras três decisões que já fez, ficando com dois vice-campeonatos em Roland Garros e um no Australian Open. O número 3 do mundo inclusive brincou com a situação.

“Espero poder ganhar meu primeiro título de Grand Slam, mas se perder acho que preciso ligar para Andy Murray e ver como se superar esse gosto amargo de ter zero vitórias e quatro derrotas em finais, até porque ele conseguiu ganhar três títulos depois”, ironizou o austríaco, que anotou uma firme vitória em sets diretos contra o russo Daniil Medvedev na semifinal.

“Sem dúvida é o maior objetivo e também o maior sonho que tenho como tenista profissional. A partir do momento em que percebi que teria a chance de vencer um torneio com esse, defini que seria um propósito para mim. Foi muito difícil digerir a derrota no Australian Open, pois estava muito perto de conseguir”, complementou.

Thiem afirmou que apesar do triunfo em sets diretos sobre o finalista do torneio no ano passado, o confronto não foi nada fácil. “Foi uma partida muito dura com um alto nível de tênis. Foi provavelmente a vitória mais difícil em sets diretos que já tive. Estou feliz com o nível que mostrei nesses últimos dias”, analisou o vice-líder da ATP, que marcou placar final de 6/2, 7/6 (9-7) e 7/6 (7-5).

“A minha estratégia foi forçar ralis longos desde o fundo da quadra para não deixar Daniil em sua zona de conforto, pois é um jogador que comete poucos erros. Tentei cansá-lo do fundo com bolas altas e com muito efeito. Esse foi o plano”, observou Thiem, que terá pela frente na decisão o alemão Alexander Zverev.

Será a décima vez que eles se enfrentam e o austríaco tem confortável vantagem de 7 a 2 no retrospecto. “Sei do que Sascha é capaz, a última vez que nos enfrentamos foi na Austrália e foi muito disputado. Vou entrar em campo como nos seis jogos anteriores. Ele é meu último obstáculo para o título e o enfrentarei com a seriedade que um jogo desses exige”, disse Thiem.

“Vou entrar no jogo totalmente concentrado, como nos seis jogos anteriores. O mundo vai continuar seja qual for o resultado, então tudo vai ficar bem. Zverev é um grande jogador, um dos melhores do circuito. Vai ser um jogo super complicado e terei de dar o meu melhor se quiser ganhar”, finalizou o tenista de 27 anos.

Comentários