Notícias | Dia a dia | US Open
Thiem derruba Medvedev e joga a 4ª final de Slam
11/09/2020 às 23h59

Thiem tem ampla vantagem nos confrontos contra Zverev no circuito profissional

Foto: Simon Bruty/USTA

Nova York (EUA) - Pela quarta vez em sua carreira profissional, Dominic Thiem disputará uma final de Grand Slam. Depois de perder duas decisões de Roland Garros para Rafael Nadal e o Australian Open deste ano para Novak Djokovic, o austríaco de 27 anos e número 3 do mundo tem a chance de ganhar o maior título da carreira no US Open. Thiem venceu a semifinal desta sexta-feira contra o russo Daniil Medvedev, 5º colocado, por 6/2, 7/6 (9-7) e 7/6 (7-5) em 2h55 de partida.

Thiem voltará ao Arthur Ashe Stadium no próximo domingo, às 17h (de Brasília) para enfrentar o alemão Alexander Zverev. O austríaco tem ampla vantagem no histórico de confrontos contra o rival de 23 anos e número 7 do mundo. Em nove duelos anteriores, Thiem venceu sete. Ambos lutam por um inédito troféu de Grand Slam e o alemão alcança sua primeira final em torneios deste porte.

Lendas do tênis perderam suas primeiras finais
Cinco jogadores na Era Aberta perderam as três primeiras finais de Slam que disputaram. O croata Goran Ivanisevic e o norte-americano Andre Agassi conquistaram os primeiros títulos na quarta chance que tiveram. Já Andy Murray e Ivan Lendl tiveram que esperar um pouco mais e venceram um Grand Slam apenas na quinta final que disputaram.

Agassi e Lendl terminaram suas carreiras com oito troféus de Slam, Murray segue em atividade com três títulos e oito vices. Ivanisevic ficou com sua conquista de Wimbledon em 2001.

Russo perde chance, mas mantém os pontos
Já Medvedev não repete a campanha do ano passado, quando foi finalista em Nova York. O russo de 24 anos ainda não tem títulos de Grand Slam. Ele ainda não havia perdido sets no torneio antes da semifinal desta sexta e tinha chance até mesmo de ser o primeiro campeão do US Open na Era Aberta a vencer todas as partidas em sets diretos.

Mesmo sem ter o mesmo resultado de 2019, Medvedev mantém os 1.200 pontos no ranking. Como o circuito ficou parado por quase cinco meses, devido à pandemia, a ATP modificou temporariamente o cálculo da pontuação. São considerados os 18 melhores resultados entre março de 2019 e dezembro de 2020. Esse período compreende duas edições do US Open e só a melhor campanha é contabilizada.

Nervos acirrados desde o início da semifinal
A partida começou com alto nível de intensidade. Os dois jogadores estavam bem distantes da linha de base e entravam em trocas longas do fundo de quadra com muito peso de bola. Thiem foi quem teve as primeiras chances de quebra, ainda no quarto game da partida. O russo conseguiu se salvar, mas voltaria a ter o serviço ameaçado pouco depois.

Ao enfrentar novo break point e ter o serviço quebrado, o russo pediu para desafiar o próprio saque, na esperança de que a bola tivesse sido fora e o ponto recomeçado em segundo serviço. O recurso é raro, mas válido em alguns momentos, desde que o jogador não demore para desafiar. O árbitro Damien Dumusois, o mesmo que estava na cadeira no polêmico jogo de Medvedev contra Feliciano López no ano passado, negou o perido e irritou o russo. Medvedev reclamou, ironizou a marcação, e perdeu o foco em alguns momentos. Thiem aproveitou para quebrar de novo e fechar o primeiro set.

Medvedev foi ao vestiário antes do segundo set e tentou recuperar a confiança. Logo na abertura da parcial, ele conseguiu uma quebra de serviço e venceu oito pontos em nove possíveis para já abrir 2/0. O russo foi confirmando seus games sem enfrentar break points, e assim o fez até o momento em que liderou por 5/3. Thiem devolveu a quebra justamente quando o rival sacava para o set. Já com o placar empatado por 5/5, o austríaco sobreviveu a um game de dez minutos, salvando cinco break points.

O tiebreak também foi definido por margens mínimas. Thiem abriu 3-1, mas perdeu três pontos seguidos. O austríaco, então, salvou um set point no saque. Pouco depois, com o placar empatado por 7-7, contou com a colaboração do russo, que fez um drop shot muito ruim e deixou a bola fácil para matar o ponto. Assim, o número 3 do mundo ganhou a chance de fechar o set em seu serviço e não desperdiçou.

Russo perdeu muitas chances no terceiro set
O terceiro set começou de novo com Medvedev à frente. O russo abriu 3/0 no placar e depois teve break point para ampliar a diferença para duas quebras de vantagem. Thiem conseguiu manter o importante game de serviço, reduzindo o placar para 4/2. O austríaco também mostrava sinais de irritação com o fato de a quadra estar escorregadia.

Assim como na parcial anterior, Medvedev sacou para fechar e teve um set point, mas Thiem mostrou muita disciplina tática e paciência na construção dos pontos para voltar a quebrar o saque do adversário e buscar novamente o empate. O segundo tiebreak do jogo foi muito mais tranquilo para o austríaco, que se manteve muito firme no saque, enquanto Medvedev cometeu duplas-faltas e erros não-forçados. Thiem rapidamente abriu 5-1 e soube administrar a vantagem. Medvedev até salvou o primeiro match point, mas não evitou a derrota.  

Comentários