Notícias | Dia a dia | US Open
Serena explica lesão, mas sabe que Vika foi melhor
11/09/2020 às 15h49

Serena destacou a reação e a força mental de Azarenka. A norte-americana agora foca em Roland Garros.

Foto: Mike Lawrence/USTA

Nova York (EUA) - Eliminada na semifinal do US Open, Serena Williams logo foi perguntada sobre o problema físico que sentiu no início do terceiro set do jogo contra Victoria Azarenka na quinta-feira. Serena explica que a lesão foi no tendão de aquiles da perna esquerda, e não no tornozelo como parecia ser durante o atendimento médico. No entanto, a veterana de 38 anos diz que isso não interferiu no resultado e fez questão de dar todos os méritos a Azarenka, considerando que a rival foi superior na partida, nos aspectos físico, tático e mental.

Não foi nada grave. Eu corri para uma bola, era um longo ponto, e senti alguma coisa. Não era meu tornozelo, era na verdade no tendão de Aquiles. Ele apenas esticou demais. Foi muito intenso na hora. Então foi isso. Mas estou bem. Não acho que tenha nada a ver com o resultado. Isso não afetou meu jogo, apenas naquele ponto. Eu estou bem, sim", disse Serena após a derrota por 1/6, 6/3 e 6/3 para Azarenka.

"Comecei muito forte, mas ela continuou lutando. Ela, então, mudou um pouco o jeito e ficou cada vez melhor. Talvez eu tenha tirado um pouco o pé do acelerador em algum momento, mas ela jogou muito bem", comentou a norte-americana, que tem 18 vitórias e cinco derrotas contra Azarenka no circuito. "Ela está se movimentando bem, jogando bem e é alguém que o conhece muito o meu jogo. Sempre tivemos boas batalhas".

"Quando ela está jogando comigo, ela simplesmente sobe o nível de tênis. E como ela acabou de ganhar Cincinnati, espero que continue jogando assim. Ela é o tipo de pessoa por quem você sempre torce, a menos que você obviamente esteja jogando contra. Eu sempre torço por ela", complementou a ex-número 1 do mundo. Tanto Serena quanto Azarenka são jogadoras que já são mães.

Serena também destacou a força que Azarenka teve para voltar a jogar em alto nível. A bielorrussa demorou para retornar ao circuito por conta de uma disputa judicial pela guarda do filho Leo, nascido em dezembro de 2016. Na volta, até conseguia algumas vitórias contra adversárias importantes, mas tinha dificuldades de ter uma sequência de resultados. Antes do título de Cincinnati e da final do US Open, estava há doze meses sem vencer. "Não sei como ela conseguiu manter o pensamento positivo, para ser sincera. Essa é uma boa lição para todos nós. Não importa o que aconteça, você apenas tem que continuar. Espero que ela continue vivendo seu sonho".

A derrota também adia o sonho de Serena conquistar o tão sonhado 24º título de Grand Slam da carreira, o que a faria igualar o recorde de conquistas de Margaret Court, maior vencedora de todos os tempos. Mas a próxima chance não vai demorar.

Depois de afirmar que tinha dúvidas se jogaria ou não em Roland Garros, ela garante que vai tentar conquistar o Grand Slam francês, que começa em pouco mais de duas semanas. "É obviamente decepcionante perder. Mas ao mesmo tempo, eu fiz o que pude hoje. Sinto que, nas outras vezes estive perto de vencer, eu poderia ter jogado melhor. Mas hoje eu sinto que me doei muito. Com certeza, eu vou para Paris".

Comentários