Notícias | Dia a dia | US Open
Zverev afirma que vencer o 2º set foi fundamental
09/09/2020 às 11h59

Zverev faz sua segunda semifinal seguida em Grand Slam e terá Carreño pela frente

Foto: Darren Carroll/USTA

Nova York (EUA) - Para superar as quartas de final do US Open, o alemão teve não apenas que buscar a virada contra o croata Borna Coric, mas sair de um buraco após ser dominado no primeiro set e estar com quebra de desvantagem no segundo. Para conseguir a recuperação ele apostou em uma maior consistência e acabou tendo êxito.

“É claro que não joguei bem no começo, não é segredo, eu estava perdendo 6/1 e 4/2 após 28 minutos. Mas encontrei uma maneira de vencer o segundo set e isso foi absolutamente fundamental. Em um certo momento disse a mim mesmo: ‘se você continuar assim, vai ficar dois sets abaixo em um piscar de olhos’. Precisava ser mais agressivo e ser mais estável. No final, foi o que fiz e foi por isso que tudo funcionou”, analisou.

Um dos principais nomes da sua geração, apontado como candidato a suceder o Big 3, o atual número 7 sabe que tem uma boa chance nas mãos, mas não quer perder a concentração. “Com a desclassificação de Djokovic é claro que os mais jovens veem tudo isso como uma oportunidade espetacular, mas sinto que temos que baixar a cabeça, focar em nós mesmos e fazer nosso trabalho”, observou Zverev.

“Pela primeira vez faço duas semifinais seguidas e posso ir mais longe aqui, ainda espero chegar à final. Agora tenho mais experiência e talvez fique um pouco mais calmo nos Grand Slams. Este é o nível mais duro do nosso esporte, você precisa estar 100% para ter chances”, afirmou o alemão, que terá pela frente, nas semifinais, o espanhol Pablo Carreño.

“É claro que posso melhorar muitas coisas, mas estou nas semifinais e isso significa que não estou jogando tão mal, pois venci bons jogadores. A chave não vai ficar mais fácil daqui para frente, amanhã só teremos mais quatro e para ganhar um torneio como este é preciso estar no seu melhor nível. É isso que tento alcançar e é por isso que trabalho todos os dias”, completou o germânico.

Comentários