Notícias | Dia a dia | US Open
Primeira semi de Slam confirma ótimo ano de Brady
08/09/2020 às 23h04

Brady derrotou grandes jogadoras em 2020 e conquistou seu primeiro título há três semanas

Foto: Darren Carroll/USTA

Nova York (EUA) - Primeira jogadora a garantir vaga na semifinal do US Open, a norte-americana Jennifer Brady faz seu melhor resultado em Grand Slam e confirma sua ótima temporada no circuito. Há três semanas, Brady ganhou seu primeiro título de WTA em Lexington. Além disso, a norte-americana de 25 anos já venceu grandes nomes em 2020, como Ashleigh Barty, Garbiñe Muguruza, Elina Svitolina e Angelique Kerber.

Brady começou o ano como 56ª do ranking e aparece atualmente na 41ª posição. Com os 780 pontos conquistados, ela já está saltando para o 25º lugar. Se for finalista, fará 1.300 pontos e entrará no top 20 do ranking mundial. Já um eventual título a colocaria entre as 15 melhores jogadoras do circuito.

+ Brady domina Putintseva e faz semifinal inédita
+ Brady confirma boa fase, tira Kerber e faz quartas
+ Brady faz valer a boa fase e vence seu 1º WTA

"Eu estava apenas tentando me concentrar em mim mesma e não pensar muito no futuro, você sabe, pensar que eu poderia chegar a uma semifinal de Grand Slam. Eu estava realmente tentando pensar em um ponto de cada vez e controlar minhas emoções", disse Brady após a vitória por 6/3 e 6/2 sobre a cazaque Yulia Putintseva palas quartas de final do Grand Slam nova-iorquino.

O melhor resultado da carreira da norte-americana em Grand Slam acontece justamente em uma edição atípica, sem a presença dos torcedores. "É um pouco mais fácil quando não há torcida. Acho que teria sido incrível ter essa experiência de jogar no Ashe com 20 mil pessoas. Certamente, eu teria gostado disso, mas nos tempos em que estamos, infelizmente não podemos ter isso, e estou muito feliz apenas por estar aqui competindo".

Brady agora se prepara para enfrentar Naomi Osaka, número 9 do mundo e campeã do torneio em 2018. Elas já duelaram duas vezes com uma vitória para cada lado. E a norte-americana busca a terceira vitória contra top 10 no ano e na carreira. "A Naomi já ganhou Grand Slam e é obviamente uma grande jogadora. Muito poderosa, com ótimo saque e bons golpes da linha de base. Ela é uma ótima jogadora".

Norte-americana foi treinar na Alemanha
Ao contrário do que acontece com a maioria das jogadoras norte-americanas, Brady foi atingir seus melhores resultados depois de sair do país e treinar no exterior. No fim do ano passado, ela foi para a Alemanha para treinar com Michael Geserer, ex-técnico de Julia Goerges.

"Decidi ir para a Alemanha, porque encontrei um novo treinador e ele estava morava lá, assim como o meu preparador físico, o Daniel. Queria ver o quão longe eu poderia chegar como tenista e senti que precisava fazer uma mudança. Como eles estavam morando na Alemanha, eu decidi: Ok, eu vou. E não tive problema. Eu estava ansiosa por isso, por fazer algo diferente, fora da caixa, diferente do habitual ficar em casa e treinar na Flórida".

"Então fui para a Alemanha e treinei em quadras cobertas no inverno e eu estava um pouco preocupada com isso,  jogando no frio antes de ir para a Austrália, mas honestamente, realmente não fez muita diferença . Sim, estou muito feliz com a decisão".

Comentários