Notícias | Dia a dia | US Open
Frases: saiba o que comentam em Nova York
08/09/2020 às 16h30


“Estou jogando melhor a cada partida e espero que isso continue. Estou satisfeito por ganhar todos esses sets e não precisar ficar muito tempo na quadra. Isso é sempre bom quando você está jogando um Grand Slam.”

Medvedev é o único homem nas quartas-de-final deste ano a chegar às oitavas sem perder nenhum set.

"É uma sensação incrível. Eu estava esperando há cinco meses. É um momento muito especial para mim jogar aqui, ganhar jogos, vencer grandes jogadores. Esperava muito por este momento."
Rublev, russo cabeça 10, 22 anos, campeão este ano em Doha e Adelaide.

“Se você vai aos clubes onde os juvenis estão participando, eles não querem mais ser como Kafelnikov ou Safin. Eles querem ser como Medvedev, Rublev ou Khachanov. Isso é lógico. É uma coisa boa para eles seguirem alguém e tentarem ser como esses três caras.”
Yevgeny Kafelnikov, primeiro russo a ganhar um Grand Slam, em 1996, em Roland Garros. Em 1999, também ganhou o Aberto da Austrália, ano em que também liderou por breve tempo o ranking mundial.

“Dois russos estão nas quartas de final, então, isso é definitivamente uma coisa boa para o tênis russo.”
Kafelnikov

“Nós sabíamos que ele podia jogar um tênis incrível. Mas se ele ainda não estava lá, significava que ele não era tão consistente quanto poderia ser. Agora ele é realmente consistente. Cada torneio que ele joga ele se sai bem. O início do ano foi incrível para ele, então espero que continue assim.”
Medvedev comentando o nível de Rublev, que em 2017, aos 19 anos, foi o mais jovem jogador a chegar às quartas no US Open desde Andy Roddick em 2001.
 

“É realmente inacreditável que cheguei tão longe e consegui vencer quatro partidas, especialmente a última que durou acho que três horas. É uma grande conquista para mim”
Pironkova, búlgara que disputa seu primeiro torneio após a licença maternidade de três anos, após derrubar Muguruza e Vekic a caminho da quarta rodada.

“Significa muito estar aqui depois de três anos de ausência. E sendo meu primeiro torneio, tendo este ótimo resultado, é algo muito especial.”
Pironkova, campeã de Sydney em 2014.

“Jogar com uma campeã, uma lenda do jogo, é uma honra tremenda, obviamente. Estou muito ansiosa por essa partida porque sei que a sensação será muito especial.”
Pironkova sobre encarar Serena Williams nas quartas.

“Ela estava indo muito bem, sendo muito agressiva e eu sabia que precisava fazer a mesma coisa”.
Serena sobre o nível da grega Maria Sakkari.

“Eu definitivamente estou em forma. Eu joguei bastante três sets, isso também é bom porque eu não estou apenas em forma, estou bem em forma."
Serena

“Sinto falta dos fãs porque os intervalos são um pouco mais longos quando os fãs estão aqui, por causa das palmas. Eu poderia ter usado um pouco disso nesta partida! Adoro ter fãs aqui, por isso sinto falta.”
Serena revela uma vantagem de contar com o público nas arquibancadas.

"Joguei de forma bastante agressiva desde a primeira bola, e isso é muito necessário porque ela é uma grande jogadora que pode acertar em vários ângulos excelentes. Felizmente, meu primeiro saque estava funcionando, então foi uma grande vantagem."
Mertens, semifinalista do Aberto da Austrália em 2018, na entrevista em quadra após eliminar Sofia Kenin.

"É sempre bom assistir a partidas contra jogadoras para os quais você perdeu, porque você sabe o que tem que fazer melhor. Na verdade, assisti à partida de Wuhan, mas o mais importante é que tentei manter o foco e foi o que fiz esta noite."
Mertens e Kenin se enfrentaram duas vezes em 2019, com a americana, campeã do Aberto da Austrália no início do ano, vencendo os dois confrontos em três sets em Mallorca e em Wuhan.

"Significa bastante porque muita coisa está acontecendo no mundo e estou feliz por estar de volta e jogar, fazer o que amo."
Mertens



Comentários