Notícias | Dia a dia | US Open
Thiem diz não se importar com ausência do Big 3
08/09/2020 às 11h16

Com a eliminação de Djokovic, o austríaco é agora o que tem melhores resultados em Slam

Foto: Peter Staples/USTA

Nova York (EUA) - Com a desclassificação do sérvio Novak Djokovic, pela primeira vez desde 2004 as quartas de final de um Grand Slam não contarão com um integrante sequer do Big 3, já que o espanhol Rafael Nadal e o suíço Roger Federer não entraram na disputa do US Open. Para o austríaco Dominic Thiem, essas ausências não lhe farão diferença

“A única diferença é que nenhum deles está na chave. Em nível pessoal eu não me importo, só me concentro na minha próxima partida e continuo focado igual. Não me importa se não houver nenhum membro do Big 3. O que aconteceu, aconteceu”, afirmou o atual número 3 do mundo, que bateu o canadense Felix Auger-Aliassime nas oitavas de final com 7/6 (7-4), 6/1 e 6/1.

“Nenhum dos jogadores teve qualquer influência nisso. Precisamos nos concentrar em nós mesmos. Obviamente, todos nós temos uma grande chance de ganhar nosso primeiro Grand Slam, mas as coisas não mudam muito, pelo menos para mim”, complementou Thiem, o tenista com melhor histórico em Slam entre os que restaram, com três vice-campeonatos.

O próximo oponente de Thiem será o australiano Alex de Minaur. “Ele é um dos jogadores mais rápidos do circuito, se move bem e com precisão. É um tenista que melhorou muito no último ano e meio, principalmente fisicamente. Lembro-me do meu primeiro jogo em que duelamos, ele tinha 17 anos e era super magro, mas agora é homem. Será uma história completamente diferente”, analisou.

Será a terceira vez que o austríaco e o australiano medirão forças no circuito. Thiem venceu as duas primeiras, começando por um duelo no US Open de 2017, pela primeira rodada, em que perdeu apenas seis games. O último aconteceu dois anos atrás no playoff da Copa Davis, desta vez com triunfo um pouco mais apertado, por 3 sets a 1.

Comentários