Notícias | Dia a dia | US Open
Osaka vence na madrugada e já está nas quartas
07/09/2020 às 01h27

Dona de dois Grand Slam, Osaka chega às quartas pela terceira vez na carreira

Foto: Simon Bruty/USTA

Nova York (EUA) - No jogo que encerrou a programação de domingo no Arthur Ashe Stadium, Naomi Osaka entrou em quadra por volta das 23h (pelo horário local, 0h de segunda-feira de Brasília). A partida avançou pela madrugada, mas teve uma vitória tranquila para a número 9 do mundo. Osaka marcou as parciais de 6/3 e 6/4 contra a estoniana Anett Kontaveit, 21ª do ranking.

Osaka venceu todos os cinco jogos que fez contra Kontaveit no circuito. Dois desses triunfos aconteceram em semanas consecutivas. Pouco antes do US Open, elas se enfrentaram pelo Premier de Cincinnati, que foi excepcionalmente transferido para Nova York e disputado no complexo Billie Jean King. Na ocasião, a japonesa conseguiu uma vitória muito mais difícil, em três sets.

Campeã do US Open em 2018 e também dona de um título do Australian Open, Osaka chega às quartas de final de um Grand Slam apenas pela terceira vez na carreira. Ex-número 1 do mundo e atual nona colocada, a jovem de 22 anos enfrentará a norte-americana Shelby Rogers. Osaka perdeu os três duelos anteriores que fez contra Rogers, 93ª do ranking e algoz de Petra Kvitova neste domingo depois de salvar quatro match points.

Osaka homenageou adolescente morto

Fora das quadras, Osaka também tem sido protagonista. Ela trouxe para o ambiente do tênis os protestos contra o racismo e a violência policial nos Estados Unidos. As manifestações, que começaram pelos atletas da NBA e chegaram a outras ligas esportivas norte-americanas. Durante o US Open, ela tem prestado homenagens aos negros mortos pela polícia ou em crimes de ódio, motivados por racismo nos Estados Unidos.

A japonesa preparou sete máscaras com os nomes de pessoas que pagaram com a própria vida pelo racismo existente no país. O homenageado deste domingo hoje é Trayvon Martin, adolescente negro que foi morto a tiros aos 17 anos por um segurança em fevereiro de 2012 em Sanford, na Flórida. O caso de Martin foi recentemente abordado por outra tenista negra, a jovem de 16 anos Coco Gauff, durante uma manifestação após a morte de George Floyd em Minneapolis.

Japonesa está se recuperando da lesão
Depois de não entrar em quadra para a final de Cincinnati, há oito dias, por conta de uma lesão muscular na coxa esquerda, Osaka já disputou dez sets no US Open. A estreia contra a também japonesa Misaki Doi e o jogo da terceira rodada, contra a promissora ucraniana Marta Kostyuk foram ao terceiro set. Já as partidas contra Camila Giorgi na segunda rodada e contra Kontaveit nesta semana foram mais curtas.

Na última sexta-feira, quando venceu um jogo de 2h33 no horário mais quente da rodada, ela foi perguntada sobre como estava a perna e se disse satisfeita com sua movimentação em quadra, mas ciente de que poderia melhorar. Ela relata que começou a sentir o problema ainda na estreia de Cincinnati e que as dores ficaram mais intensas durante a semifinal contra Elise Mertens.

Osaka não enfrentou break points no jogo
Logo no primeiro game da partida, Osaka já conseguiu uma quebra de serviço, contando com erros e uma dupla-falta de Kontaveit. A japonesa passou ilesa pelos games de serviço, sem enfrentar break points e cedendo apenas seis pontos. Além disso, a ex-número 1 do mundo mostrava uma boa movimentação do fundo de quadra e consistência nos golpes para conseguir mais uma quebra no fim do set. Ela terminou a parcial com seis winners e sete erros, enquanto Kontaveit anotou cinco bolas vencedoras e errou 10 vezes.

Osaka continuou sacando muito bem no início do segundo set, passando pelos quatro primeiros games de serviço com apenas dois pontos perdidos. Kontaveit seguia sendo pressionada, salvou três break points nesse intervalo de tempo, mas conseguiu manter o serviço, mostrando boas soluções do fundo de quadra.

Mesmo com as oportunidades perdidas, Osaka não baixava a intensidade e nem o foco, continuando a sacar muito bem e dar poucas chances à rival. Vencendo por 5/4, a japonesa tentou ser agressiva nas devoluções. Não faltou empenho a Kontaveit, que salvou cinco match points, um deles com um drop-shot muito bem executado, e só um em erro da japonesa. Mas a pressão da ex-número 1 continuou até que ela conseguisse a quebra. Osaka fez 21 a 16 em winners, cometeu 18 erros e não enfrentou break points na partida. 

Comentários