Notícias | Dia a dia | US Open
Brady confirma boa fase, tira Kerber e faz quartas
06/09/2020 às 15h52

Brady vive a melhor fase da carreira, com seu primeiro título de WTA e a melhor campanha em Grand Slam

Foto: Mike Lawrence/USTA

Nova York (EUA) - A melhor temporada da carreira de Jennifer Brady no circuito segue rendendo ótimos frutos. Três semanas depois de conquistar seu primeiro título de WTA em Lexington, a norte-americana de 25 anos e 41ª do ranking chega pela primeira vez às quartas de final de um Grand Slam. Ela avançou no US Open depois de superar a alemã Angelique Kerber, ex-número 1 do mundo e campeã do torneio em 2016, por 6/1 e 6/4.

Até então, os melhores resultados de Brady em Grand Slam eram as oitavas de final na Austrália e no US Open em 2017. Nos dois últimos anos, ela havia perdido ainda na estreia em Nova York. Mas em 2020, a norte-americana vem conseguindo grandes resultados e venceu nomes como a número 1 mundo Ashleigh Barty em Brisbane, além de bater Elina Svitolina e Garbiñe Muguruza em Dubai.

Kerber, por sua vez, estava sem jogar desde janeiro. A canhota alemã de 32 anos havia sofrido uma lesão na coxa esquerda no início deste ano e acabou desistindo de alguns torneios no primeiro trimestre. Veio, então, a pandemia e a paralisação do circuito profissional por cinco meses. Mas mesmo quando as competições foram retomadas, no início de agosto, a ex-líder do ranking não atuou em nenhum torneio antes do US Open. Kerber ocupa atualmente a 23ª posição do ranking.

Brady dominou as ações no primeiro set, definindo a parcial em pouco mais de 20 minutos. A norte-americana não enfrentou break points e cedeu apenas quatro pontos em seus games de serviço. Com muito volume de jogo, deixou a alemã na defensiva e conseguiu duas quebras.

O segundo set foi mais equilibrado. Brady novamente foi a primeira a quebrar e liderava por 3/2 quando precisou de atendimento para um problema na coxa esquerda. Depois de receber o tratamento fora da quadra, a norte-americana teve o serviço frequentemente ameaçado, mas conseguiu sustentar a vantagem já construída.

Putintseva também avança em Nova York
A adversária de Brady nas quartas de final será a cazaque Yulia Putintseva, 35ª do ranking, que chega pela terceira vez às quartas de final de um Grand Slam. Putintseva venceu uma batalha de três sets e 2h37 contra a croata Petra Martic, cabeça 8 em Nova York e número 15 do mundo, por 6/3, 2/6 e 6/4.

A cazaque de 25 anos já havia chegado duas vezes às quartas de final de Roland Garros, em 2016 e 2018. Mas seu melhor resultado no US Open era a terceira rodada do ano passado. Putintseva venceu os dois duelos anteriores que fez contra Brady no circuito.

Comentários