Notícias | Dia a dia | US Open
Serena vence de virada e revê sua última algoz
05/09/2020 às 17h20

Serena terá a oportunidade de revanche contra a grega Maria Sakkari

Foto: Simon Bruty/USTA

Nova York (EUA) - Depois de ter sido eliminada ainda nas oitavas de final do Premier de Cincinnati, há quase duas semanas, Serena Williams terá a oportunidade de revanche contra a grega Maria Sakkari no US Open. As duas vão se enfrentar justamente nas oitavas do Grand Slam nova-iorquino.

Serena venceu um duelo de campeãs contra Sloane Stephens. Dona de 23 Grand Slam, seis deles em Nova York, a veterana de 38 anos levou a melhor contra a compatriota, vencedora do torneio em 2017, com parciais de 2/6, 6/2 e 6/2 em 1h44 de partida.

A vaga de Sakkari nas oitavas foi conquistada com bem mais tranquilidade. A grega de 25 anos e 22ª do ranking bateu a norte-americana Amanda Anisimova por 6/3 e 6/1 em apenas 55 minutos. Sakkari chega pela primeira vez às oitavas do US Open em seis participações. Caso supere Serena, número 8 do mundo, ela conseguirá sua décima vitória contra top 10 e a melhor campanha em Grand Slam.

Serena é recordista de vitórias no torneio
Desde que venceu seu jogo de estreia em Nova York na última terça-feira, Serena é a recordista de vitórias no US Open. Ela já tem 104 triunfos na história do torneio, ficando à frente de Chris Evert que tem 101 no total. Ambas são hexacampeãs do Grand Slam norte-americano.

Serena tem 15 vitórias e quatro derrotas na atual temporada. Ela começou o ano com um título no WTA de Auckland, em sua primeira conquista desde que se tornou mãe. Mas na sequência, sofreu uma eliminação precoce na terceira rodada do Australian Open e uma dura derrota para Anastasija Sevastova na Fed Cup. A norte-americana não participou de exibições durante os cinco meses que o circuito ficou parado pela pandemia da Covid-19. Na volta, sofreu derrotas de virada em Lexington e Cincinnati. Ela não levava viradas desde 2016.

Altos e baixos para a ex-número 1
O começo de partida não foi bom para Serena, que colocou apenas 50% de primeiros serviços em quadra no set inicial e viu Stephens ter o controle dos pontos desde as devoluções. Dessa forma, a campeã de 2017 era quem ditava o ritmo das ações e conseguia mexer a veterana de 38 anos do fundo de quadra e deixá-la em posições desconfortáveis.

Dos 13 erros não-forçados de Serena durante o primeiro set, sete ocorreram nos dois games de serviço em que ela foi quebrada. Stephens fez 11 a 10 em winners e cometeu apenas cinco erros na parcial. A ex-líder do ranking chegou a ter dois break points em um game, mas não os aproveitou.

Serena sacou melhor no segundo set e conseguiu mudar um pouco a dinâmica da partida. Com quatro aces e 76% de primeiros serviços em quadra, ela enfrentou somente um break point e cedeu apenas sete pontos em seus games de saque. Além disso, as devoluções da ex-número 1 começavam a machucar sua adversária, tendo mais chances de quebra. Serena quebrou duas vezes a rival, fez dez winners e apenas cinco erros.

O bom desempenho de Serena no saque continuou no terceiro set, quando ela sequer enfrentou break points. A primeira quebra da parcial aconteceu ainda muito cedo. Stephens encarou um 0-40 e lutou muito para manter o serviço, mas não foi possível. Já com ampla vantagem, Serena ficou ainda mais confiante e conseguiu mais uma quebra já no fim do jogo para consolidar a virada.

Comentários