Notícias | Dia a dia | US Open
Isolada após contato com Paire, belga perde torneios
04/09/2020 às 18h39

Flipkens ficará em Nova York por mais uma semana e não jogará torneios no saibro antes de RG

Foto: Arquivo

Nova York (EUA) - Em meio aos desdobramentos do caso positivo para Covid-19 de Benoit Paire, a belga Kirsten Flipkens relatou fazer parte do grupo de onze pessoas monitoradas pela organização do torneio após contato com o francês. Para continuar no torneio, ela teve que assinar um novo termo de responsabilidade e vive em uma espécie de "bolha da bolha". Mas mesmo agora que já foi eliminada, ela terá que continuar em Nova York até o dia 11 de setembro, o que irá comprometer sua preparação para Roland Garros.

Apesar de ter feito vários testes, e de todos darem negativo, Flipkens segue isolada e não poderá competir no qualificatório para o Premier de Roma que acontece no final de semana de 12 e 13 de setembro. Na semana seguinte, acontece o WTA de Estrasburgo, mas a jogadora de 34 anos e atual 72ª do ranking não tem condição de entrar diretamente na chave do torneio. Dessa forma, não jogará nenhum evento no saibro antes do Grand Slam francês, que começa em 27 de setembro.

+ Em meio a polêmica, jogo de Zverev muda de horário
+ Mannarino conta como é viver 'na bolha da bolha'
+ US Open monitora 11 tenistas por contato com Paire

"Eu não estava reclamando de como as coisas aconteceram até agora, com os protocolos rígidos e etc. Tenho que dizer que agradeço por pelo menos poder jogar o torneio. Acho que a USTA e o US Open fizeram esses protocolos ainda mais rígidos para prevenir que mais pessoas testassem positivo. Isso é lógico", relatou Flipkens, em seu perfil no Instagram, na última quinta-feira.

"Mas eu já estou fora do US Open em simples e duplas. E qual seria a rotina normal? Pegar um voo e voltar para casa. E então, descansar e treinar no saibro antes de jogar em Roma", comenta a belga. "Mas agora parece que o 'Seven/Eleven' (sete jogadores + quatro pessoas) vão precisar ficar aqui por mais duas semanas depois de ter contato com o Benoit Paire. Isso significa que só podemos sair daqui na sexta-feira que vem, dia 11 de setembro!"

+ Paire diz que fez novo teste e resultado foi negativo
+ Mladenovic dispara para todos os lados após queda
+ Paire dispara e chama de falsa a bolha de Nova York

"Isso significa que eu não vou poder jogar o quali de Roma, que começa no sábado. E além disso, só tem mais um torneio da WTA no saibro antes de Roland Garros. Será em Estrasburgo, com uma chave de 28 jogadoras e apenas seis no quali. Ou seja, eu não terei nenhuma preparação para Roland Garros. Também queria mencionar que todos os meus testes PCR deram negativo", complementou a ex-número 13 do mundo.

Já nesta sexta-feira, a belga voltou a se manifestar nas redes sociais e trouxe mais informações. Ela conta que agora não pode mais sair do quarto do hotel. "Acabei de receber a notícia de que nós fomos obrigados pelo Departamento de Saúde do condado de Nassau a ficar quarto do hotel", disse Flipkens. "Até ontem à noite, nós ainda poderíamos treinar, acessar uma academia específica da academia e locais separados no torneio, seguindo os protocolos. Agora, de repente, temos que ficar quarentenados no quarto".

Comentários