Notícias | Dia a dia | US Open
Nakashima se inspira em Djokovic para poder brilhar
03/09/2020 às 13h58

Nakashima deu trabalho, mas foi eliminado por Zverev na segunda rodada do US Open

Foto: Mike Lawrence/USTA

Nova York (EUA) - Apesar da eliminação na segunda rodada do US Open, o jovem norte-americano Brandon Nakashima mostrou um grande tênis na derrota de 3 sets a 1 para o alemão Alexander Zverev, dando bastante trabalho ao atual número 7 do mundo, que precisou de quase três horas para derrotar o rival de 19 anos completados no mês passado.

Atualmente ocupando o 223º lugar no ranking, Nakashima não hesita em estabelecer metas ambiciosas para si mesmo. “Sempre quis ser o número 1 do mundo e ganhar um Grand Slam”, disse o tenista natural de San Diego, que se tornou profissional após um ano na Universidade da Virgínia.

Nakashima se comportou muito bem contra Zverev, e mostrou uma grande consistência, com sua capacidade de pegar uma bola forte do adversário, saindo da posição defensiva para o ataque, num estilo que se assemelha ao do sérvio Novak Djokovic.

“Sempre gostei de ver Federer jogar, mas acho que meu estilo é mais parecido com o de Djokovic”, analisou o norte-americano em entrevista para o Ubi Tennis. Ele teve a chance de acompanhar o número 1 do mundo de perto na semana que antecedeu o US Open, atuando como parceiro de treinos do sérvio.

“Ele é um cara legal e muito engraçado às vezes, especialmente na quadra quando ele não está jogando. Está sempre rindo, se divertindo. Mas quando se trata de treinar e rebater na quadra, ele absolutamente concentrado e percebe tudo o que está acontecendo naquele momento. Foi ótimo ver isso”, contou o jovem tenista.

Nakashima acredita que jogos como o que teve contra Zverev, apesar da derrota, são importantes para ele poder crescer. “É apenas uma questão de desenvolver meu jogo durante esse tempo e tentar obter mais experiências como essa e veremos o que acontece a partir daí”, finalizou o atual 223 do mundo.

Comentários