Notícias | Dia a dia | US Open
Experiente, Djokovic garante que não está cansado
02/09/2020 às 22h14

Djokovic disputou sete jogos nos últimos dez dias em Nova York

Foto: Simon Bruty/USTA

Nova York (EUA) - Apesar de ter disputado sete jogos nos últimos dez dias, Novak Djokovic garante que está muito bem fisicamente e que o cansaço não é uma preocupação. Depois de ter vencido cinco jogos na semana passada para ser campeão do Masters 1000 de Cincinnati, torneio que foi transferido excepcionalmente para Nova York, o número 1 do mundo já superou seus dois primeiros compromissos no US Open e segue em busca do 18º Grand Slam.

"Tive muitos pontos positivos nas últimas semanas. Fiz muitas partidas em quadra e competi muito bem, especialmente nas últimas partidas de Cincinnati", disse Djokovic, que conseguiu vitórias difíceis contra Roberto Bautista Agut e Milos Raonic no último fim de semana para vencer seu 35º Masters 1000 da carreira.

"Aquelas vitórias foram muito importantes, ainda mais mentalmente, antes ao US Open. Não me sinto cansado. Não sinto que falta de energia ou tempo de recuperação seja um grande problema para mim. Ao contrário, na verdade, me sinto muito bem", comenta o sérvio, que durante o último torneio, chegou a ter algumas dores na região do pescoço.

O experiente jogador de 33 anos conta ainda que sua longa bagagem em partidas de cinco sets é um trunfo nessas primeiras rodadas do US Open. "Eu amo jogar em melhor de cinco. Tenho boas chances quando aqui na Quadra Central do US Open contra qualquer pessoa no mundo. Ter jogado nesse palco tantas vezes, depois de fazer parte do circuito por 15 anos, ajuda nesse tipo de situação".

A respeito de seu desempenho na vitória sobre Kyle Edmund pela segunda rodada em Nova York, Djokovic acredita que a sua primeira quebra de serviço, já no segundo set, foi fundamental para mudar o rumo da partida. "Foi um jogo muito parelho por um set e meio. Mas depois consegui algumas quebras e, obviamente, depois de fechar o segundo set, me senti mais confortável. Eu estava devolvendo melhor, comecei a ler melhor o saque dele e fiquei satisfeito com o meu saque. No geral, foi um teste muito bom".

"Kyle fez um primeiro set fantástico", disse o número 1 do mundo a respeito do rival, 44º do ranking. "Ele não errou muito, jogou muito bem e foi agressivo do fundo de da quadra. Normalmente, seu forehand é uma arma, mas o backhand, especialmente no primeiro set, também era muito forte e muito sólido", comenta o sérvio, que conseguiu sua sexta vitória em sete jogos contra Edmund no circuito.

Djokovic enfrenta na terceira rodada o alemão Jan-Lennard Struff, 29º do ranking. O sérvio venceu os quatro duelos anteriores, um deles no Masters 1000 da última semana. "Struff é outro grande sacador. Obviamente, fiz uma grande partida contra ele na semana passada, mas as condições são um pouco diferentes aqui. Se jogarmos no Arthur Ashe, não vai ventar tanto quando estava na Grandstand, então isso provavelmente ajuda os sacadores. Mas vamos ver. Gosto das minhas chances em uma melhor de cinco".

Comentários