Notícias | Dia a dia
Toni Nadal critica cisão promovida por Djokovic
02/09/2020 às 13h33

Manacor (Espanha) - A criação de uma associação de jogadores paralela à ATP promovida pelo sérvio Novak Djokovic, que conta com apoio de outros nomes como o do canadense Vasek Pospisil e do norte-americano John Isner, dividiu opiniões no circuito, com alguns apoiando a ideia e outros tantos se mostrando contrários a ela.

Em sua coluna no El País, Toni Nadal se mostrou contra a nova associação. “Com essa segregação, ‘Nole’ pretende defender melhor os interesses dos tenistas, principalmente econômicos. Nesta nova federação estariam defendidos os 500 melhores jogadores de simples e 200 de duplas. É um número arbitrário. Não seria melhor defendê-los a todos?”, indagou o espanhol.

+ Jogadores insatisfeitos querem criar ATP paralela
+ Djoko diz que nova associação não concorre com ATP
+ Nadal é contrário à nova associação de jogadores
+ Federer e Murray não aderem à associação paralela

“Agora não é hora de provocar uma cisão. Além disso, noto um certo egoísmo quando alguns procuram apenas os seus interesses. Sei como é difícil organizar um torneio, já sou diretor do torneio de Mallorca há alguns anos e conheço o trabalho que se faz para promover o tênis e o dinheiro que um promotor perde”, acrescentou Toni.

O treinador acredita que estamos numa época em que o melhor é trabalharmos juntos para um futuro, em vez de criarem mais divisões entre jogadores e instituições. “Os tenistas e os torneios precisam uns dos outros e perseguem o mesmo objetivo. É melhor que eles andem de mãos dadas para tornar o tênis maior e mais atraente”.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva