Notícias | Dia a dia
'A primeira semana foi trágica', relembra Dimitrov
24/08/2020 às 13h27

Nova York (EUA) - Após superar a estreia no Masters 1000 de Cincinnati, derrotando o francês Ugo Humbert com parciais de 6/3 e 6/4, o búlgaro Grigor Dimitrov voltou falar sobre as dificuldades pelas quais passou infectado pelo coronavírus e lembrou que mal conseguia se exercitar por causa da dificuldade de respirar.

“A primeira semana foi trágica, só conseguia andar. Não conseguia fazer exercício, levantar pesos, nem jogar tênis. Só conseguia andar. Primeiro em casa, depois lá fora. Aos poucos comecei a correr e a partir daí, um pouco mais cada dia”, disse o búlgaro, que chegou em cima da hora na bolha de Nova York e mesmo assim estreou com vitória.

“Sinceramente, já fico feliz só por estar aqui participando do torneio. Gostaria com isso que as pessoas se conscientizassem e saibam que não importa quem você é e quão forte e saudável esteja. Isso não diferencia ninguém, somos todos iguais ante a doença”, observou Dimitrov, que já havia revelado algumas das complicações enfrentadas em outra entrevista.

Classificado para a segunda rodada do Masters 1000 de Cincinnati, o cabeça de chave 14 medirá forças com o húngaro Marton Ficsovics. Será a primeira vez que eles se enfrentarão no circuito e o vencedor deve pegar, na rodada seguinte, o austríaco Dominic Thiem, que primeiro precisa colocar o favoritismo em quadra no duelo com o sérvio Filip Krajinovic.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva